SP – Acadêmicos do Butantã trará para seu desfile os “Mistérios” no carnaval que vem

0
76

A escola de samba paulista Acadêmicos do Butantã, para o próximo carnaval trará o enredo “Um mistério indecifrável”.

SINOPSE:

Origem da vida

De onde viemos?

“Um mistério indecifrável”

Para você, como o mundo surgiu?

Muito antes da ciência começar a se perguntar sobre a origem da vida humana, as sociedades antigas já falavam sobre ela em seus mitos e lendas. Vamos viajar no tempo onde os povos mais antigos tinham uma concepção sobre a criação do mundo. 

Cada sociedade, cultura ou civilização tem a sua própria maneira de explicar a origem da vida e do ser humano. Esses mitos da criação são narrativas simbólicas e metafóricas, que explicam a origem do mundo e do homem. Eles são encontrados em quase todas as culturas, e apesar de hoje pensarmos nesses mitos como histórias fantasiosas, cada comunidade as considerava como um relato sagrado, que transmitia a verdade absoluta.

Esses mitos de criação ao redor do mundo possuem muitas referências em comum, como divindades criadoras, batalhas, metamorfoses ou separação entre dois mundos. E como geralmente eram transmitidas de forma oral, cada uma dessas histórias possuíam muitas versões, que podiam mudar de acordo com o território, ou mesmo pelo interesse dos governantes.

Iremos conhecer cada mito de forma lúdica e descontraída, passando por algumas civilizações que tem por crenças várias definições da criação do mundo em que vivemos, até finalizar com a teoria da ciência e fazer uma analogia ao surgimento, e portanto, “Origem da vida” da GRCES ACADÊMICOS DO BUTANTÃ.

A Bíblia – Criacionismo 

O Gênesis, primeiro livro do Antigo Testamento, descreve a origem do homem, o primeiro capítulo diz: “No princípio, Deus criou o céu e a terra. Ora, a terra estava vazia e vaga, as trevas cobriam o abismo, um vento de Deus pairava sobre as águas. Deus disse: ‘Haja luz’ e houve luz.    Deus viu que a luz era boa, e Deus separou a luz e as trevas. Deus chamou a luz ‘dia’ e as trevas ‘noite’. Houve uma tarde e uma manhã: primeiro dia. (…) Deus disse: ‘Fervilhem as águas, um fervilhar de seres vivos e que as aves voem acima da terra, diante do firmamento do céu’ e assim se fez. (…) Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou, homem e mulher ele os criou.”

Também feito a partir do barro, o homem teria ganhado vida quando Deus assoprou o fôlego da vida em suas narinas.

Adão e Eva foram os primeiros humanos na terra, tinham tudo que desejavam, porém havia uma árvore com o fruto proibido, Deus disse que eles não poderiam comer do mesmo, porém o desobeceram e dai surgiu a vergonha e tudo que há de mal no mundo  (se eles tivessem ouvido Deus não existiria nada de mal e seríamos imortais).

Tiamat- a deusa dragão – Mitologia Mesopotâmica 

 Essa epopeia é sobre a criação,  que glorificavam a vitória de Marduk, o único Deus bastante forte para derrotar o dragão Tiamat, personificação do caos e das águas do mar.
Este Deus derrotou os outros deuses e dividiu o corpo de Tiamat, separando assim o céu da Terra e, com o sangue de um monstro derrotado, produziu o primeiro homem.

Prometeu e a criação do homem – Mitologia Grega 

Quando Zeus se tornou líder  ainda não haviam homens e animais na Terra. Então ele pediu à seus filhos Prometeu e Epimeteu que fossem à Terra, criassem esses seres e dessem um presente a cada um deles.

Prometeu criou os homens à imagem dos deuses, enquanto Epimeteu trabalhou nos animais. Epimeteu terminou primeiro a sua obra, dando um presente a cada um dos animais, e quando Prometeu terminou sua criação, já não havia presentes para dar ao homem.

Por isso, Prometeu decidiu roubar o fogo dos deuses e dar aos homens. Zeus ficou furioso quando descobriu, e além de castigar seu filho com o sofrimento eterno, resolveu punir também os homens.

Brahma e sua criação – Mitologia Hindu

Brahma criou o universo e o mundo, e resolveu povoá-lo com criaturas que fossem geradas de sua própria essência. Seu filho primogênito, o sacerdote, saiu de sua própria boca. O guerreiro, foi feito de seu braço direito e de seu braço esquerdo foi criada sua esposa.

A história de Izanagi e Izanami – Mitologia  Japonesa 

No início, existia apenas um Deus, que por se sentir solitário decidiu criar os deuses irmãos Izanagi e Izanami. Esses deuses ficavam em cima de uma ponte flutuante. Curiosos sobre o que havia abaixo deles, os deuses mergulharam uma lança de jóias no oceano primordial, e quando a balançaram, uma gota caiu de sua ponta se transformando em uma ilha. Essa ilha era o Japão.

Os dois então desceram para essa ilha e começaram a explorá-la em direções diferentes, criando diversos tipos de plantas em seu caminho. Quando eles se encontraram novamente, decidiram se casar e terem filhos para povoar essa terra.

A primeira de suas filhas era uma garota tão bela que os deuses decidiram que ela não poderia viver no Japão. Então, a colocaram no céu.

A primeira filha se tornou o sol, a segunda filha de tornou-se a lua, e o terceiro transformou-se no mar.

O primeiro imperador do Japão foi o filho do sol, e todos os imperadores seguintes alegaram ser seu descendente.

O sopro da vida – Mitologia  Yorubá

O mundo começou quando o orixá Obatalá comunicou ao deus supremo, Olodumaré, o seu desejo de criar a Terra, chamada de Ilê Aiyê.

Como na época o Ilê Aiyê era apenas água primordial, Olodumaré deu a Obatalá um punhado de areia, que deveria ser jogado sobre a água, e uma galinha ficaria encarregada de espalhá-la sobre a superfície, dando origem às porções de terra do planeta. Segundo a história, Obatalá perdeu a oportunidade de ser o criador do mundo ao embriagar-se com um vinho de palmeira chamado emo, restando-lhe a tarefa de criar a humanidade a partir do barro, enquanto Olodumaré daria o sopro da vida aos indivíduos.

A farinha de milho – Mitologia  Maia

Segundo a narrativa, os deuses maias o criaram inicialmente da lama, mas não deu certo porque ele acabou se dissolvendo. Tentaram, então, moldar uma pessoa a partir da madeira, mas se depararam com o problema de que ela não tinha alma. Enfurecidos, os deuses destruíram o mundo com chuva e fogo. Em uma última tentativa, fizeram o homem de farinha de milho. O projeto vingou e os maias passaram a crer que o cereal era a matéria-prima de sua formação.

As lágrimas de Atum e o homem – Mitologia Egípcia

Atum era um ser sem gênero e que possuía um olho que tudo vê. Ele então criou seus filhos, o Deus do ar, e a deusa da umidade.

Esses dois deuses foram encarregados de criar ordem a partir do caos. Eles então geraram a terra e o céu. Quando o céu foi levantado acima da terra, a ordem do mundo se formou, porém o ar e a umidade se perderam na escuridão.

Atum então removeu seu olho e o enviou em busca de seus filhos. Quando eles foram encontrados, Atum chorou de felicidade, e no local onde suas lágrimas atingiram a Terra nasceram os homens.

Tupã, o deus Sol Mitologia Tupi-guarani

Tupã, o deus Sol, com a ajuda de Jaci,a deusa Lua, desceram para a terra para criar tudo que existe na Terra, incluindo o oceano, florestas e animais. Também as estrelas foram colocadas no céu nesse momento.

Tupã então criou a humanidade em uma cerimônia elaborada, formando estátuas de argila do homem e da mulher com uma mistura de vários elementos da natureza. Depois de soprar vida nas formas humanas, deixou-os com os espíritos do bem e do mal e partiu.

Teoria do  Big Bang

Big Bang (ou “Grande Explosão”) é uma teoria científica que tenta explicar a origem do universo a partir da sua contínua expansão, que cria um distanciamento cada vez maior entre as galáxias.

De acordo com a teoria, o universo era extremamente quente e denso. Com a densidade comprimida em apenas um determinado ponto, houve um colapso e, por consequência, uma grande libertação de energia. Este momento é conhecido como o “Big Bang”.

Após esta “explosão”, toda a energia começou a se expandir rapidamente e, ao longo dos anos, o universo começou a se resfriar, permitindo a criação dos primeiros elementos, como o hidrogênio, por exemplo.

Com o surgimento de grandes nuvens de hidrogênio, estas foram ficando cada vez mais quentes e densas, até que também entraram em colapso e formaram as primeiras estrelas no universo.

 O rugido do Tigre – Nasce Acadêmicos do Butantã 

A origem da vida é inexplicável, temos mitos e teorias onde podemos tirar conclusões, o fato é que a vida floresceu, evoluiu e continuará evoluindo, e fez com que o homem tenha o desejo de criar algo que almeja.

E com isso, o desejo de criar uma agremiação no bairro do Butantã, três homens tiveram um incentivo para formular a escola, um olhando para o sol, outro observando a noite e o último homem buscou estímulo ao ar, formando as cores da escola (amarelo, preto e branco), deu-se origem ao um novo pavilhão, onde a comunidade tem um amor imenso pelo samba e necessitava de uma agremiação. E pensando em um símbolo, ouviram um rugido de um tigre soar em seus ouvidos e decidiram que o animal tomasse de conta do pavilhão, com a sua força feroz e o rugido do tigre, nasce então a Acadêmicos do Butantã. 

É de lutas e conquistas que a vida é feita, e devemos sempre nos preparar para as que vêm a seguir. Mas agora devemos ir a luta de uma nova conquista,  de sermos campeões do Carnaval.

Embarque nessa viagem com a Acadêmicos do Butantã!

Autor: Divo Nascimento

Acadêmicos do Butantã – Logo Carnaval 2021

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui