SERIE A/RJ – Em noite conturbada, Império Serrano definiu seu samba. Presidente Vera anuncia sua retirada.

0
32

Era pra ser uma noite pro imperiano lavar a alma. Com quatro composições de qualidade exaltando a mulher brasileira, em especial as imperianas que tanto contribuíram para a cultura de nosso país. Porém distante de uma noite de festa, o evento foi um episódio para se esquecer : brigas, ameaças e o anúncio da retirada da presidente do cargo.

Em uma disputa marcada pelo equilíbrio, ao final das apresentações pairava no ar a pergunta de qual obra seria escolhida como o hino oficial do Reizinho de Madureira para o próximo carnaval.

O intervalo entre as apresentações e o anúncio, algo em torno de uma hora, explicitavam que a decisão não seria de comum acordo. Mesmo após a entrada da diretoria no palco, era possível perceber que ainda havia certo debate a respeito da escolha. Foi quando a presidente Vera pediu a palavra para o anúncio.

Em sua declaração, disse ser uma pessoa transparente, por isso estava infeliz em anunciar o samba vencedor, e que a partir daquele momento deixaria a escola.

Dado o microfone ao intérprete Leléu, ele entoou o samba vencedor da parceria de Aluísio Machado, Lucas Donato, Senna, Matheus Machado, Luiz Henrique, Thiago Bahiano, Beto BR, Rafael Prates e Renan Diniz. A partir desse momento o cenário de folia se transformou e o que foi presenciado foram cenas que nada remetem à imagem que a escola nove vezes campeã do carnaval representa.

Mesas voando, baldes de cerveja sendo arremessados, troca de socos entre torcedores, compositores e diretoria. Pessoas que tentavam sair da quadra sendo recomendadas a permanecerem, pois na área externa haveria um grande confronto.

Em 2020, o Império Serrano será a última escola a desfilar na sexta-feira de Carnaval, com o enredo “Lugar de Mulher é onde ela quiser”, que será desenvolvido pelo carnavalesco Júnior Pernambucano.

Por Douglas São Pedro.

 

Em noite conturbada, Império Serrano definiu seu samba. Presidente Vera anuncia sua retirada.Era pra ser uma noite pro imperiano lavar a alma. Com quatro composições de qualidade exaltando a mulher brasileira, em especial as imperianas que tanto contribuíram para a cultura de nosso país. Porém distante de uma noite de festa, o evento foi um episódio para se esquecer : brigas, ameaças e o anúncio da retirada da presidente do cargo.Em uma disputa marcada pelo equilíbrio, ao final das apresentações pairava no ar a pergunta de qual obra seria escolhida como o hino oficial do Reizinho de Madureira para o próximo carnaval. O intervalo entre as apresentações e o anúncio, algo em torno de uma hora, explicitavam que a decisão não seria de comum acordo. Mesmo após a entrada da diretoria no palco, era possível perceber que ainda havia certo debate a respeito da escolha. Foi quando a presidente Vera pediu a palavra para o anúncio. Em sua declaração, disse ser uma pessoa transparente, por isso estava infeliz em anunciar o samba vencedor, e que a partir daquele momento deixaria a escola. Dado o microfone ao intérprete Leléu, ele entoou o samba vencedor da parceria de Aluísio Machado, Lucas Donato, Senna, Matheus Machado, Luiz Henrique, Thiago Bahiano, Beto BR, Rafael Prates e Renan Diniz. A partir desse momento o cenário de folia se transformou e o que foi presenciado foram cenas que nada remetem à imagem que a escola nove vezes campeã do carnaval representa. Mesas voando, baldes de cerveja sendo arremessados, troca de socos entre torcedores, compositores e diretoria. Pessoas que tentavam sair da quadra sendo recomendadas a permanecerem, pois na área externa haveria um grande confronto. Em 2020, o Império Serrano será a última escola a desfilar na sexta-feira de Carnaval, com o enredo "Lugar de Mulher é onde ela quiser", que será desenvolvido pelo carnavalesco Júnior Pernambucano.Por Douglas São Pedro.

Publicado por Carnaval Número 1 em Domingo, 8 de setembro de 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui