RJ – União da Ilha do Governador Completa Hoje 67 Anos

1
894

 

Tradicionalmente conhecida pela alegria e espontaneidade em seus desfiles, hoje a comunidade insulana comemora os 67 anos de fundação da União da Ilha do Governador, agremiação fundada na data de 07/03/1953 na cidade do Rio de Janeiro.

A fundação da escola se deu por iniciativa dos amigos Maurício Gazelle, Quincas e Orphylo, durante um desfile de pequenas agremiações lá mesmo na Ilha do Governador, já que decidiram que o bairro da Cacuia, na Ilha, deveria ter uma agremiação que o representasse no carnaval.

Inicialmente a agremiação recebeu o nome de União, somente no ano de 1960 passou a ser denominada de União da Ilha do Governador, quando obteve autorização para desfilar juntamente com as demais escolas de samba do Rio de Janeiro.

Veio do União Futebol Clube as cores da agremiação, branco, azul e vermelho e sua madrinha é a Portela.

A escola nunca obteve um título de campeã no grupo especial do carnaval do Rio, tendo sim sido campeã somente em grupos inferiores como aconteceu nos carnavais de 1974 e 2009.

Mesmo não alcançando o topo do pódio, grandes carnavais e grandes sambas marcaram o nome da União da Ilha no cenário do carnaval brasileiro, como aconteceu nos carnavais de 1977 e 1978 quando a carnavalesca Maria Augusta Rodrigues elaborou para os desfiles da agremiação os enredos “Domingo” e “O Amanhã”. Em 1982, Max Lopes planejou para a escola o enredo “É Hoje”.

Grandes sambas foram apresentados pela escola insulana, com destaque para as obras dos compositores Didi, J Brito, Bujão, Franco, dentre outros.

Grandes personalidades do carnaval carioca fizeram e ainda fazem parte da União da Ilha, exemplo disso são o eterno intérprete da agremiação Aroldo Melodia que esteve a frente do carro de som da escola de 1970 à 1983, 1986 e 1987, 1991 e 1992, 1995 e 1996. Neste último ano esteve acompanhado de seu filho Ito Melodia, que atualmente é a voz oficial da agremiação, desde o carnaval de 2002. Aroldo Melodia também foi o compositor de sambas da agremiação levados para a pista de desfiles.

Reinando a frente dos ritmistas da escola, a gaúcha Deise Nunes deixou muitas saudades, tendo estado nesse posto do carnaval de 1993 a 2004.

O primeiro desfile da agremiação foi no carnaval de 1960, no grupo 3, quando apresentou o tema de enredo “Homenagem às forças armadas”, já conquistando um terceiro lugar.

Somente no carnaval de 1975 é que a escola chegou ao grupo 1 da época, já que no carnaval anterior foi a grande campeã do grupo 2, tendo naquele ano apresentado o enredo “Nos confins de Vila Monte” e ficado com a nona colocação.

Os carnavais de 1989 e 1990 são marcantes na história da agremiação, ocasião em que o carnavalesco Ney Ayan apresentou os enredos “Festa Profana” e “Sonhar com Rei dá João”, dois grandes momentos da escola no grupo de elite do carnaval do Rio.

No carnaval de 2001 obteve péssima colocação no grupo especial, tendo sido rebaixada para o grupo de acesso da época, onde permaneceu até o carnaval de 2009. Nessa sua trajetória no grupo de acesso a agremiação apresentou lindos desfiles com destaque para “Chega em seu cavalinho azul uma bruxinha boa. A Ilha trouxe do céu Maria Clara Machado” no carnaval de 2003, quando foi vice campeã, “Das veredas dos trilhos a um sonho de fé… A Ilha traz a conquista do pináculo, Corcovado tentação”, no carnaval de 2005, quando de novo foi vice campeã, até que foi a grande campeã em 2009 com “Viajar é preciso – Viagens extraordinárias através de mundos conhecidos e desconhecidos” do carnavalesco Jack Vasconcelos.

No seu retorno ao grupo especial em 2010, a escola apostou no trabalho da professora Rosa Magalhães como carnavalesca, para que permanecesse no rol das grandes agremiações cariocas e essa estratégia deu certo.

Do carnaval de 2011 a 2015 Alex de Souza foi o carnavalesco da agremiação, com sua melhor colocação em 2014 com o enredo “É brinquedo, é brincadeira. A Ilha vai levantar poeira!”, tendo alcançado a quarta colocação naquele carnaval.

No carnaval do ano de 2011 em função de um incêndio que assolou o barracão da agremiação localizado na Cidade do Samba, durante o período de preparação do desfile da escola, a mesma não concorreu e acabou sendo considerada Hors concours.

A Cavalinhos Marinhos da ilha, escola de samba mirim da União da Ilha, foi fundada no ano de 2014, tendo desfilado pela primeira vez no carnaval de 2016

Com a saída de Alex de Souza após o carnaval de 2015, passaram pela agremiação os carnavalescos Paulo Menezes e Jack Vasconcelos no ano de 2016 sendo sucedidos por Severo Luzardo de 2017 à 2019, com grandes desfiles apresentados do ponto de vista plástico.

Neste último carnaval de 2020 a agremiação insulana acabou ficando somente com o 13º lugar, sendo rebaixada para o grupo de acesso, onde deverá desfilar no próximo reinado de Momo de 2021. Para o desfile de 2020 a escola contou com o trabalho do experiente diretor de harmonia Laíla, com passagens marcantes pelo Acadêmicos do Salgueiro e Beija Flor de Nilópolis.

Às vésperas de comemorar seus 67 anos, o vice presidente da escola foi executado à tiros.

Com referência às premiações dadas pelo júri do Estandarte de Ouro, por cinco oportunidades a escola obteve premiação máxima nos quesitos de bateria, intérprete e melhor ala.

Agora é se esperar que a escola realize um grande desfile para assegurar seu retorno ao grupo especial assim que possível.

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

1 COMENTÁRIO

  1. a escola tem que começar a se mexer, mandar tds que contribuirao para o descenso emboraos culpados devem serem punidos, muita desgraça para um ano so, descenso , nuraco ocasionado por pessoas de pessima qualidade, , acidente com o ito e esposa, morte do vice presidente assassinado , vamos mudar essa bagaça, contratando outros carnavalesco, mauro quintaes, jack vasconcelos ou outros que estao disponiveeis no mercado, nos precisamos subir o ano que vem de qualquer jeito, que tal um enredo F E N I X , RENASCER DAS CINZAS. ISSO É ´PARA ONTEM, VAMOS LA ILHA[

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui