RJ – Sem apoio da Prefeitura de São Gonçalo, Porto da Pedra cancela ensaio de rua

0
346
Foto: Wigder Frota
Prestes a entrar na avenida Marques de Sapucaí pela série A do carnaval Carioca, a Porto da Pedra cancelou o ensaio técnico que aconteceria na Rua Francisco Portela, no Patronato, nesse domingo (12).

Os componentes da Porto da Pedra iriam fazer, no próximo fim de semana, o primeiro ensaio técnico de rua em São Gonçalo, com vistas a apresentação do enredo ‘Do Bonfim à Sapucaí – o que que a Baiana Tem’, que está sendo desenvolvido pela carnavalesca Annik Salmon. Sensibilizados com a crise financeira que vem fazendo a Prefeitura do Rio atrasar a o repasse de verbas para os desfiles das agremiações na capital, os vereadores da Câmara de São Gonçalo aprovaram uma emenda ao orçamento, de autoria de Jorge Mariola (PHS), propondo o repasse de  R$ 300 mil para o ‘Tigre’ para ajudar a custear o projeto do Carnaval 2020, que deve ultrapassar a casa dos R$ 2,5 milhões.

Apesar da aprovação, a emenda ainda precisa passar pelo aval do Prefeito José Luiz Nanci, que ainda não se manifestou oficialmente se vai repassar realmente esse valor e a data. A Assessoria do Prefeito informou que o projeto está em análise na Secretaria de Planejamento. Nanci diz que a crise financeira pela qual atravessa o poder público dificulta uma solução mais rápida e deixou desanimados os sambistas da escola ao informar que a prioridade, no momento, é o cumprimento da folha salarias e o pagamento de contratos.

A falta de apoio faz com que os componentes do bloco carnavalesco ‘Quem manda é a mulher’, criado por sambistas ligados à escola, a organizar, pelo segundo ano consecutivo, um grande desfile, para protestar  contra a situação. O bloco promete, mais uma vez, abordar o cotidiano político na cidade no seu hino oficial. Na primeira apresentação da agremiação pelas ruas de São Gonçalo, cinco mil pessoas fora às ruas.

“São Gonçalo é uma cidade com mais de 1 milhão de habitantes e está entre as grandes metrópoles brasileiras. O que dizer de um governo que mantém fechado o único teatro público da cidade, que apesar de pronto e novinho em folha, nunca funcionou. A cultural em São Gonçalo sempre fica em segundo plano”,  diz o sambista Dário da Costa Silva, o ‘Dário da Cuíca, de 65 anos. Pelo sexto ano consecutivo, São Gonçalo não terá desfiles de oficias de escolas de samba. Argumentando falta de recursos públicos para investir no espetáculo, que costumava reunir até 5 mil pessoas por dia no Patronato, a Prefeitura de São Gonçalo não fará o evento.

Fonte: O SGonçalo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui