RJ – O Grêmio Recreativo Escola de Samba Cultural Império da Zona Norte já tem enredo para estrear no carnaval da Intendente Magalhães

0
211

 

Fundada no mês de agosto deste ano, a Império da Zona Norte, sediada no bairro  de Marechal Hermes vai estrear no carnaval da Intendente Magalhães no próximo ano. A agremiação deverá desfilar no  Grupo de Avaliação da LIESB.

O enredo da agremiação será “NEGRITUDE – HERANÇAS DO SOLO AFRICANO”, dos carnavalescos Caaio Araújo e Elvis Luiz.

JUSTIFICATIVA:

A cultura africana e a herança cultural deixada por nossos ancestrais, fundamenta e enriquece a experiência humana no planeta e que deixou extrema no nosso país.

Buscando mostrar esse lado histórico-cultural pouco explorado,  da África e do Brasil, o GRESC Império da Zona Norte convida a todos a re(conhecer), celebrar e resgatar a nossa herança e reafirmar o nosso compromisso histórico e genético. Mesmo por que, sem a África, o Brasil não existiria.

Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade, porque neste carnaval, os caminhos da África nos conduzem ao nascer de um “novo” Império.

SINOPSE DO ENREDO:

África! Abençoada África!
Berço do mundo, ventre da humanidade
De fauna e flora diversa
Abençoada pelos Orixás
Terra de um povo Guerreiro
Símbolo de luta e bravura

Sucumbidos a ira e a ganância
De um povo ambicioso
Vê seus filhos serem levados rumo ao mar
Escravizados, acorrentados.

Mas o sangue guerreiro é forte
Resiste, enfrenta a dor e não se entrega
A cada opressão, a cultura se manifesta

Ao chegar no Brasil eram vendidos
Obrigados a trabalhar
Quituteiras, vendedores de flores
Vendedores de leite, artesões
Na casa grande ou na plantação de café
Sempre ao comando de seus senhores
Castigados e torturados nas senzalas
Para que aprendam a respeitar os comandos que vós eram dados
Sonhavam com o dia em que pudessem ser livres novamente

Em meio ao caos agarravam mais e mais em sua fé
Mesmo com todos os desabores
Faziam sua própria liberdade
Dançavam jongo, jogavam capoeira
Brincando de ser feliz em batuques e risos-choros

E mesmo com todo dia de resistência
Mostravam que o Negro devia ser observado
Como a mais linda raça humana

Toda essa historia serviu para mostrar que o Brasil jamais formaria sua identidade cultural sem reconhecer suas raízes africanas.

A capoeira, o jongo, o samba, o candomblé, entre outros são marcas valiosas do nosso patrimônio cultural. Não teriam sido concebidos por nós brasileiros sem o DNA africano deixado pelos nossos ancestrais que aqui foram escravizados.

Ainda temos muito que aprender com a historia de nossos antepassados, mas uma coisa é certa, nossa historia e cultura não seria a mesma sem a África.

Salve a NEGRITUDE que habita em nós!

Império da Zona Norte – Logo carnaval 2021

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui