RJ – Joãozinho da Goméia Também no Teatro

0
242

“Joãozinho da Goméia – De filho do tempo a Rei do Candomblé” volta em curta temporada no Rio

No dia 23 de novembro a Companhia KarmaCírculus Teatro entra em cartaz em curtíssima temporada do espetáculo “Joãozinho da Goméia – De filho do tempo a Rei do Candomblé”, no Teatro Municipal Gonzaguinha, no Centro do Rio. No mês da Consciência Negra, o poema cênico, escrito e dirigido por Átila Bezerra, com adição de fragmentos de ditos pelo próprio João Alves de Torres Filho, retorna ao Rio, nos dias 23 e 24 (sábado e domingo) 28, 29 e 30 de novembro e 01 de dezembro (quinta a domingo).

A peça é um mergulho na forte personalidade do homem que, da Baixada Fluminense, popularizou o candomblé no Brasil. O espetáculo estreou em fevereiro, na cidade do Rio, e já passou por Salvador e Duque de Caxias, cidades em que Joãozinho viveu. Baiano de Inhambupe, no interior da Bahia, João viu sua vida se transformar quando ainda criança foi à cidade de Salvador em busca da cura para uma doença que o atormentava. Iniciou sua trajetória religiosa em 1931 e levou a dança dos Orixás para os palcos de teatros de Salvador. Em 1946 mudou para o município de Duque de Caxias, onde alcançou poder e fama e se tornou um dos mais importantes babalorixás da história do candomblé no Brasil

Figura polêmica, Joãozinho da Goméia era negro, homossexual, artista e apaixonado pelo carnaval. Não tinha papas na língua e muito menos medo de ser ousado e revolucionário dentro da religião. Era considerado um homem a frente de seu tempo, que não se envergonhava de se declarar gay na homofóbica Bahia do início do século XX. Pai de santo que afrontava os princípios de que homens não podiam “receber” o Orixá em público, tornando-se famoso pela sua dança e festas. No carnaval Joãozinho ganhava destaque nas ruas vestido de mulher para brincar durante a folia.

João foi responsável por decorar as festas no terreiro e também é dele a ideia de bolos enfeitados nas comemorações de santo. Popularizou a religião de matriz africana atraindo importantes nomes do meio artístico, da política, de toda a alta sociedade brasileira, que saíam de suas cidades e viajavam até a Baixada Fluminense para consultas e orientações com o Babalorixá. Joãozinho da Goméia atraiu ainda a atenção da imprensa e se tornou responsável pelo crescimento do candomblé no país.

Além de apresentar João nos palcos pelo Brasil, Átila Bezerra também protagoniza o documentário poético “Joãosinho da Goméa – o Rei do Candomblé”. O filme de Rodrigo Dutra e Janaina Oliveira Refem estreia dia 21 numa sessão para convidados no Cine Odeon, no Rio.

Joãozinho também estará na Sapucaí no Carnaval 2020. A Escola de Samba Acadêmicos do Grande Rio, de Duque de Caxias, contará a história do líder religioso no Sambódromo.

O espetáculo “Joãozinho da Goméia – De filho do tempo a Rei do Candomblé“, que fica em cartaz até o dia 01 de dezembro, coloca o público diante do olhar, dos pensamentos, sentimentos e verdades desse grande líder religioso que foi João Alves de Torres Filho, o Joãozinho da Goméia.

“Joãozinho da Goméia – De filho do tempo a Rei do Candomblé”

De 23 de novembro a 01 de dezembro

Local: Teatro Municipal Gonzaguinha/Rua Benedito Hipólito, 125, Centro – Rio de Janeiro

Quinta a sábado às 19h30 /Domingos às 18h

Por Waldir Tavares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui