RJ – G.R.E.S. Em Cima da Hora completou 60 anos de fundação

0
471

 

O G.R.E.S. Em Cima da Hora, com sede no bairro carioca de Cavalcanti, foi fundada também no dia quinze de novembro, à exemplo da Leão de Nova Iguaçu, mas do ano de 1959, quando foi batizada pela Portela.

Suas cores são o Azul e Branco e seu símbolo é um relógio marcando 3 horas com uma Lira ao fundo.

Notabilizou-se no carnaval carioca pelo seu desfile no ano de 1976, com o tema de enredo “Os sertões”, cujo samba ficou imortalizado para os amantes do carnaval. Os Sertões foi um enredo desenvolvido pelo carnavalesco Sebastião Souza de Oliveira, o “Tião”, que assinou também outros 11 carnavais pela escola de Cavalcanti.

Figuras de destaque do carnaval do Rio de Janeiro tiveram fortes laços com a agremiação, dentre estes, podes citar os nomes de Carlinhos de Jesus e o jornalista Sérgio Cabral.

A Em Cima da Hora já esteve no grupo especial, desfilando na Sapucaí em sete carnavais.

A Em Cima da Hora participou oficialmente pela primeira vez no carnaval de 1962, no grupo 3 da época, tendo sido vitoriosa pela primeira vez no ano de 1966, ascendendo para o grupo 2.

Vencedora do grupo 2 no carnaval de 1968 com o enredo “Anita Garibaldi, amor e revolução”, em 1969 desfilou no grupo 1 com o enredo “Ouro escravo” , mas logo rebaixada, só retornou ao grupo 1 em 1972, permanecendo entre as grandes escolas de samba até 1976, carnaval no qual apresentou seu maior samba enredo, “Os Sertões”, mesmo que tenha ficado com 13ª. colocação e conseqüentemente tenha sido rebaixada mais uma vez.

“Os Sertões”, de autoria de Edeor de Paula é o samba de enredo considerado por muitos como um dos melhores sambas de enredo de todos os tempos

No carnaval de 1973 a Em Cima da Hora foi premiada com seu primeiro Estandarte de Ouro pelo samba de enredo “O Saber Poético da Literatura de Cordel, de autoria do compositor Baianinho.

No carnaval de 1984, em função do samba “33 – Destino Dom Pedro II”, de autoria dos compositores Guará e Jorginho das Rosas, a Em cima da Hora foi agraciada com seu terceiro Estandarte de Ouro, retornando ao Grupo Especial.

Depois de muitos altos e baixos, finalmente no carnaval de 2013 a escola trouxe enredo homenageando o cantor e compositor João Nogueira, tendo sido considerada campeã daquele carnaval e por isso retornou a desfilar na Sapucaí em 2014, ocasião em que a diretoria da agremiação resolveu reeditar o enredo “Os Sertões”, tendo desta vez ficado com o 13º lugar, permanecendo no grupo A.

O desfile do carnaval de 2015, estando a escola na série A da época, foi um desastre e de novo a Em Cima da Hora foi rebaixada e voltou para os desfiles da Intendente Magalhães, onde desfila até hoje.

No último carnaval de 2019, desfilando na série B, a escola apresentou o enredo “Orlando Baptista: o menino e a bola”, tendo alcançado a quinta colocação.

Para 2020 a escola anunciou o enredo “Malandro – O Rei da Boemia e o Barão da Ralé”, novamente uma homenagem à figura do dançarino Carlinhos de Jesus.

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui