RJ – Em 31 de Dezembro de 1931 nascia a Unidos da Tijuca que hoje completa 88 anos de história

0
496
Foto: Wigder Frota

A Unidos da Tijuca é a terceira escola de samba mais antiga do Brasil.

A agremiação foi criada a partir da fusão de quatro blocos existentes nos morros da Casa Branca da Formiga e Ilha dos Velhacos. Em 1931, no dia 31 de dezembro, na subida da Rua São Miguel, 130, na casa 20, da família Vasconcelos, homens e mulheres se uniram para fundar a Unidos da Tijuca.

No século XX, a cadeia montanhosa da Tijuca passou a ser habitada por escravos, descendentes e alforriados que deixavam para trás a falida zona cafeeira do Vale do Paraíba. A classe mais abastada que habitava a Usina e a Tijuca estava também em plena decadência. Foi nesta época que as famílias dos fundadores – os Moraes, os Chagas, os Santos e os Vasconcelos – se instalaram no complexo de morros do Borel.

A Unidos da Tijuca tem o pavão real como símbolo as cores amarelo ouro e azul-pavão, cores estas usadas na Corte Imperial e que significavam prova de bom gosto em suas vestimentas. Ambos, símbolo e cores, atribuídos como idéias de Bento Vasconcelos, um dos principais fundadores da Unidos da Tijuca.

A Unidos da Tijuca sempre foi uma escola de samba pautada na ousadia e inovação. Pesquisas registram que ela foi a primeira escola a apresentar no desfile carros alegóricos e alas fantasiadas. E em 1936 torna-se a grande campeã entre as grandes da época.

Na década de 40 e 50 ocorreram dissidências e foram fundadas outras agremiações, como as extintas Estrela da Tijuca e Recreio da Mocidade, e a ainda existente Império da Tijuca, todas formadas por ex-integrantes da Unidos da Tijuca. A Escola passou então por crises internas e por muitas dificuldades e, em 1959, desceu para o segundo grupo, sofrendo um grande esvaziamento.

Nos anos 70, os dirigentes começaram a virar essa situação buscando gente nova para recuperar o prestígio da escola. Nessa época, outros artistas contribuíram com a ascensão da escola: Laíla (atualmente na Beija-Flor) filiou-se à Unidos da Tijuca; Paulo César Cardoso apresentou enredos mais modernos e nacionalistas e Renato Lage criou cenografias fantásticas aliando o tradicional ao moderno, fazendo com que, em 1980, a agremiação retornasse ao primeiro grupo, depois de 22 anos no grupo de acesso.

Entre altos e baixos, onde caiu em 85 e 87, a última vez em que viria a ser rebaixada foi em 1998, quando apresentou enredo em homenagem ao navegador e time Vasco da Gama.

Mas em 1999 , fazendo um brilhante carnaval, deu a volta por cima no acesso A, com um samba-enredo considerado um dos mais bonitos de todos os tempos: O dono da Terra, exaltando o índio brasileiro, sua cultura e suas lendas. Voltou ao Grupo Especial em 2000 com um grande desfile que a classificou entre as cinco melhores, permitindo seu retorno no Desfile das Campeãs.

A partir de 2004, com a contratação do carnavalesco Paulo Barros, a Unidos da Tijuca surpreendeu e conquistou o público e a imprensa, garantindo o seu lugar entre as primeiras colocadas, apresentando a cada ano magníficos e admiráveis carnavais. Ocorre, então, o resgate da autoestima do tijucano que participa mais de sua escola, ao mesmo tempo em que a agremiação ganha outros e novos adeptos, passando a ser vista por todos com o merecido reconhecimento e respeito no mundo do samba.

A Unidos da Tijuca se reestruturou e se solidificou, sendo hoje uma das agremiações mais aguardadas da Sapucaí. Aplaudida pelo público e pela imprensa, passou a integrar, consecutivamente, o elenco das escolas do desfile das campeãs, disputando ano a ano o título do Carnaval carioca e sendo campeã em 2010, 2012 e 2014.

Pela escola passaram nomes importantes como alguns:

  • Interpretes_Nego, Carlinhos de Pilares, Paulinho Mocidade, Serginho do Porto, David do Pandeiro, Bruno Ribas, Tinga, alem do atual Wantuir.
  • Casais_Bagdá e Irene, Paulo Roberto e Juju Maravilha, Rogerinho Dornelles e Lucinha Nobre, Marquinhos e Giovana Justo e Julinho e Ruth Alves.
  • Mestres de bateria_Mestre Marçal, Mestre Ciça e o atual Mestre Casagrande.
  • Rainhas de Bateria_Fábia Borges, Adriane Galisteu e Juliana Alves
  • Carnavalescos_ Renato Lage, Sylvio Cunha, Oswaldo Jardim, Chico Spinoza, Milton Cunha e o atual Paulo Barros

Seus fundadores foram: Bento Vasconcelos (o líder), Leandro Chagas (organizador e disciplinador), Alcides de Moraes – conhecido como Tatão (diretor de harmonia) e seus irmãos e primos com suas famílias, que formavam a base da escola: Jorge Vasconcelos, Pacífico Vasconcelos, João de Almeida, Ismael de Moraes, Alfredo Gomes, Tertuliano Chagas, Armando dos Santos, Turíbio dos Santos, Jacinto Ribeiro, Tarquínio Ramos, Orlando Godinho, Waldemar Gargalhada, João Cascorão, José Mamede D´Ávila, Álvaro e Dedé; Regina Vasconcelos, Marina Silva, Zeneide Oliveira, Margarida Santos, Hilda Chagas, Ely Chagas, Elza Gomes, Doralice Caldeira, Hermínia Vasconcelos, Dora de Almeida e Helena de Souza.

Por Waldir Tavares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui