RJ – Desfile das campeãs do carnaval carioca nos últimos dez anos

1
511

 

Não fosse esse momento de pandemia pelo qual estamos passando, que fez com que o carnaval não acontecesse no país no mês de fevereiro, hoje estaríamos celebrando as campeãs do carnaval carioca de 2021, com o retorno à Marquês de Sapucaí das seis agremiações melhor colocadas nos desfiles desse ano.

Unidos do Viradouro – Campeã do Carnaval de 2020

O sábado das campeãs é a consagração de todo um ano de muito trabalho pelas agremiações carnavalescas, que durante praticamente todo o ano, em suas sedes e barracões, concretizam projetos que são colocados na pista da Marquês de Sapucaí para serem avaliados por um  corpo de jurados escolhidos pela LIESA.

Cada escola de samba, com seus desfiles realizados procuram a consagração popular e voltar no sábado das campeãs é a garantia de que pela avaliação recebida, num maior ou menor grau, conseguiram seu intento de não deixar o samba morrer, além de elevar cada vez mais alto o nome da escola no panteão do carnaval da Marquês de Sapucaí.

No carnaval carioca de 1988 esse retorno à pista da Sapucaí para celebrar as campeãs no sábado seguinte aos desfiles, não foi possível de acontecer, já que a cidade assolada por temporais entrou em estado de alerta naquela oportunidade, fazendo com que “Kizomba, a  festada raça” da campeã Unidos de Vila Isabel, tivesse sido um desfile único, sem possibilidade de reprise.

Unidos de Vila Isabel – Campeã do Carnaval Carioca em 1988

Já houve um tempo em que no desfile das campeãs, além das seis melhores agremiações classificadas, pertencentes ao grupo de elite das escolas de samba do Rio, também participavam dessa festa de congregação e despedida dos desfiles daquele ano, a campeã do grupo de acesso e mais uma escola de samba italiana, esta última que fazia a festa da plateia com a distribuição de bichinhos de pelúcia durante sua passagem pela pista de desfile.

A Liesa deixou de convidar, por questões legais, as vencedoras do acesso, desde o carnaval de 2000, tendo sido no carnaval carioca de 1999 a última vez que a campeã do acesso desfilou no sábado dedicado ao desfile das seis agremiações melhor classificadas. No carnaval de 1999 a Unidos da Tijuca levou o título do então Acesso A, e subiu com a vice, Porto da Pedra tendo ambas desfilado no sábado.

Unidos da Tijuca – Campeã no Carnaval do Rio de 1999 pelo Grupo de AcessoNo último carnaval de 2020 foi cogitada a participação da campeã do acesso, no caso a Imperatriz Leopoldinense, apresentar-se no sábado das campeãs, situação esta que acabou não acontecendo ao final.

Imperatriz Leopoldinense – Campeã do Grupo de Acesso em 2020

Nos dez últimos carnavais realizados na Cidade Maravilhosa, as escolas de samba que mais voltaram nas campeãs, para celebrar a vitória naquele carnaval foram Beija Flor de Nilópolis em três oportunidades (2018, 2015 e 2011), seguida da Estação Primeira de Mangueira por duas vezes (2019 e 2016) e Unidos da Tijuca também por duas edições (2014 e 2012).

Já faz um bom tempo que a transmissão do desfile das campeãs do Rio de Janeiro não é feita ao vivo pela Rede Globo para todo o país, detentora do direito de imagem do carnaval carioca por força de contrato, tendo a empresa se limitado a fazer a transmissão pela internet no Globoplay, ou mesmo a cedência deste direito para outras emissoras como aconteceu no passado, sendo o desfile transmitido pela Rede Bandeirantes de Televisão na época.

Beija Flor de Nilópolis – Campeã do Carnaval Carioca de 2018

Nos últimos dez anos de desfile das campeãs na Marquês de Sapucaí, o desfile do sábado foi composto pelas seguintes agremiações:

  • 2020 – Unidos do Viradouro, Grande Rio, Mocidade Independente, Beija Flor, Salgueiro e Mangueira
  • 2019 – Estação Primeira de Mangueira, Viradouro, Vila Isabel, Portela, Salgueiro e Mocidade Independente
  • 2018 – Beija Flor de Nilópolis, Paraíso do Tuiuti, Salgueiro, Portela, Mangueira e Mocidade Independente
  • 2017 – Portela, Mocidade Independente de Padre Miguel, Salgueiro, Mangueira, Grande Rio e Beija Flor
  • 2016 – Estação Primeira de Mangueira, Unidos da Tijuca, Portela, Salgueiro, Beija Flor e Imperatriz Leopoldinense
  • 2015 – Beija Flor de Nilópolis, Salgueiro, Grande Rio, Unidos da Tijuca, Portela e imperatriz Leopoldinense
  • 2014 – Unidos da Tijuca, Salgueiro, Portela, União da Ilha, Imperatriz Leopoldinense e Grande Rio
  • 2013 – Unidos de Vila Isabel, Beija Flor, Unidos da Tijuca, Imperatriz Leopoldinense, Salgueiro e Grane Rio
  • 2012 – Unidos da Tijuca, Salgueiro, Vila Isabel, Beija Flor, Grande Rio e Portela
  • 2011 – Beija Flor de Nilópolis, Unidos da Tijuca, Mangueira, Vila Isabel, Salgueiro e Imperatriz Leopoldinense
Estação Primeira de Mangueira – Campeã no Carnaval Carioca de 2019

Nesse ano de 2021, como não aconteceram desfiles na Sapucaí pela pandemia da Covid-19, por iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro, a passarela do samba carioca recebeu uma iluminação especial, com as cores das agremiações da cidade, como forma de homenagem às vítimas da Covid-19 no meio do samba, iluminação essa que deverá perdurar até este sábado, onde a Sapucaí com certeza estaria lotada, fossem tempos normais, para celebrar o samba e as campeãs da Cidade Maravilhosa em mais um carnaval.

Marquês de Sapucaí – Iluminação Especial em 2021

Que venha o carnaval de 2022…

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

1 COMENTÁRIO

  1. O carnaval carioca, há muito já vem sendo burocratizado, o povo não tem vez no “maior espetáculo da terra”, arquibancadas e frisas à preços aquém da realidade do folião. Antes de focar na beleza do espetáculo, tem que haver a preocupação e a valorização daqueles que contribuem para tal evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui