RJ – CHEQUE SIMBÓLICO e SEM VALOR LEGAL acirra a guerra pelo Carnaval na Série B em 2020 e pode parar na Justiça

0
65

Anunciados no mês passado, os R$ 3 milhões da subvenção municipal foram entreguem, de forma simbólica. O cheque, entretanto, não tem valor legal e, além de conter a logo da Liga Independente das Escolas de Samba do Brasil (Liesb), foi entregue apenas a representantes dessa liga.

E assim a disputa entre as ligas que administram os desfiles da Intendente Magalhães, para o Carnaval 2020, ganhou novo capítulo.

A Liga Livres, que busca gerir as agremiações da Série B, segue sem protagonismo junto à prefeitura, mesmo após se reunir com o presidente da Riotur, Marcelo Alves, na semana passada. Faltando quatro meses para os desfiles, as escolas da Intendente continuam sem dinheiro no caixa e sem soluções.

Por nota, a Riotur destacou o fato de a entrega ter sido simbólica. A definição de qual liga comandará a Série B deve acontecer pelo órgão na próxima semana: “Os documentos enviados pela Liesb e pela Livres estão sendo analisados”.

Presidente da Liesb, Clayton Ferreira definiu como prudente o posicionamento da Riotur, já que o repasse financeiro ainda não aconteceu. “Mas foi marcada uma reunião na próxima semana para assinarmos a primeira parcela. Não me preocupa minimamente a tentativa da Livres de administrar a Série B. Todas as tratativas do prefeito legitimam a Liesb”, destacou. A liga administra, atualmente, as Séries B, C, D do Carnaval.

Do outro lado, a presidente da Livres, Raphaela Nascimento, preferiu aguardar a definição da Riotur para se posicionar e, possivelmente, entrar com medidas judiciais. O integrante da Livres e dirigente da Caprichosos de Pilares, Carlos Leandro, foi mais incisivo: “Ainda acredito na lisura da Riotur, pois toda documentação que comprova maioria da Série B pela Livres foi entregue. Não vamos compactuar com a Liesb, que cometeu várias arbitrariedades com as agremiações. Se precisar, vamos, sim, à Justiça”.

Rebaixada para a Série E por ficar dois anos sem desfilar, a Caprichosos tenta, com a Livres, desfilar pela Série B no ano que vem. Porém, caso a Liesb seja oficializada pela Riotur, a escola terá, mesmo, que amargar o último grupo do Carnaval. “A Liesb não vai virar a mesa, estaríamos rasgando o regulamento”, sentenciou o presidente da liga.

Por Waldir Tavares
Fonte O Dia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui