RJ – Besouro a Lenda da Capoeira, é a aposta do Império Serrano para voltar ao Grupo Especial

0
473
Foto: Rodrigo Gorosito

O Império Serrano vai levar para a Marquês de Sapucaí, no próximo Carnaval, o enredo Mangangá, que vai contar a história de vida de Manoel Henrique Pereira, capoeirista baiano conhecido como Besouro Mangangá, célebre através de mitos e lendas dentre as quais as que diziam que lutava com o auxílio dos orixás.

O tema é de autoria do Carnavalesco Leandro Vieira, que abordará aspectos próprios da cultura afro-brasileira no exato instante em que o racismo e o preconceito são pautas contemporâneas e a construção de heróis negros no imaginário coletivo se faz urgente.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa o homem apelidado de besouro mangangá, realmente existiu. Infelizmente muito pouco se sabe sobre essa figura envolta em lendas e mistérios que permanecem desde seu nascimento até a sua morte e que os mais velhos ainda lembram em suas histórias.

Nascido em 1897 em Santo Amaro da Purificação, na Bahia, filho dos ex-escravos João Grosso e Maria Aifa, Manuel Henrique Pereira teve toda sua vida permeada por muito misticismo. Não se sabe quando, mas iniciou seus primeiros passos na capoeira com Mestre Alípio, também ex-escravo, mais precisamente na Rua do Trapiche de Baixo. Diziam que besouro era um negro alto e muito forte e na capoeira possuía uma agilidade sem igual. O que provavelmente fez com que recebesse o apelido de ”besouro”, ou “besouro mangangá”  (gênero de besouro venenoso).

Muitas são as lendas que permeiam a vida de besouro. Diziam que quando acontecia alguma confusão, o capoeirista se transformava num besouro e saia voando, ou então se transformava simplesmente num toco de pau. Diziam também que tinha o corpo fechado, que possuía poderes mágicos e que sabia orações milagrosas.

Apesar da sua fama de valentão – nunca se deu bem com a polícia – os mais antigos contam que besouro, não suportava injustiças, era um defensor do povo pobre e fazia justiça com as próprias mãos. Sempre que via alguma coisa desse tipo, ele se metia e defendia o oprimido. Seguem então aqui algumas historias que os antigos da Bahia ainda contam.

LOGO OFICIAL ENREDO
O Reizinho de Madureira vem se preparando para o próximo Carnaval sem interromper suas atividades. A sinopse disponibilizada hoje, marca também a possibilidade do início do trabalho dos compositores interessados na construção do carnaval futuro do Império Serrano. A diretoria da escola disponibilizou o regulamento do concurso, que se inicia no próximo dia 24 de outubro, com data limite para entrega das obras fixada em 22 do mesmo mês.

SINOPSE E REGULAMENTO DISPUTA DE SAMBA-ENREDO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui