RJ – Acadêmicos do Grande Rio completa 32 anos de fundação

0
277

 

Nesse vinte e dois de setembro a Acadêmicos do Grande Rio completa 32 anos de fundação, estando sediada no município de Duque de Caxias, resultado da fusão, no ano de 1988, do GRES Grande Rio e da Acadêmicos de Duque de Caxias.

Desde o carnaval carioca de 1993 a agremiação desfile no grupo de elite das escolas de samba do Rio, depois de ser a campeã do grupo de acesso no carnaval anterior, quando apresentou o enredo “Águas claras para um rei negro” dos carnavalescos Lucas Pinto e Sônia Regina Almeida.

Conhecida como escola dos famosos, visto o grande número de artistas e modelos que anualmente desfilam como destaques pela escola, a imagem da escola é muito frequentemente relacionada a Rede Globo de Televisão.

A escola nunca foi campeã no grupo principal do carnaval carioca, tendo sido merecedora da segunda colocação nos carnavais de 2006, 2007, 2010 e 2020.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 2006

Referente a premiação do Estandarte de Ouro, do Jornal o Globo, a agremiação teve maior número de prêmios nos quesitos bateria e intérprete, tendo alcançado quatro estandartes em cada um destes quesitos.

Muitos foram os carnavalescos de sucesso que passaram pela escola e realizaram carnavais grandiosos no grupo especial como Alexandre Louzada (1993, 1997), Luca Pinto (1994-1995), Roberto Szaniecki (1996, 2005-2008, 2013), Max Lopes (1998-2000), Joãosinho Trinta (2001-2004), Cahê Rodrigues (2009-2012), Fábio Ricardo (2014-2017), Renato e Márcia Lage (2018-2019) e Gabriel Haddad e Leonardo Bora (202-2021).

Com o enredo “No mundo da Lua” do carnavalesco Alexandre Louzada a Grande Rio pisou na Marquês de Sapucaí no carnaval de 1993 entre as grandes escolas de samba cariocas, apresentando um desfile grandioso, mostrando que tinha vindo para ficar dentre as grandes agremiações do carnaval do Rio, tendo ficado com a nona colocação naquela ocasião.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 1993

De 1994 a 1997 a melhor colocação da escola foi um décimo lugar em 1997 com o enredo “Madeira-Mamoré, a volta dos que não foram, lá no Guaporé” do carnavalesco Alexandre Louzada.

A estreia de Max Lopes como carnavalesco da agremiação em 1998, quando foi apresentado o enredo “Prestes, o cavaleiro da esperança”, deu a escola um inédito oitavo lugar à escola no grupo especial, melhor colocação até ali. Inovação apresentada pela escola, foi a presença de uma porta estandarte logo após a comissão de frente, Onira Pereira, tradicional figura do carnaval de Porto Alegre, que participou deste desfile e de outros desenvolvidos por Max Lopes na capital fluminense, como no ano de 1999 por exemplo.

A melhor colocação da escola sob a batuta de Max Lopes se deu no carnaval de 1999, quando com o enredo “Ei, ei, ei, Chateau é nosso rei!” a escola ficou no final com um sexto lugar.

O genial Joãosinho Trinta esteve na Grande Rio como carnavalesco de 2001 à 2004, depois de sete carnavais a frente da Unidos do Viradouro e foi no carnaval de 2003 com o enredo “O nosso Brasil que Vale” que deu a escola um terceiro lugar, melhor colocação da agremiação desde o carnaval de 1993.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 2003

Roberto Szaniecki sucedeu Joãosinho Trinta como carnavalesco da escola, tendo dado à escola dois vice-campeonatos consecutivos em 2006 e 2007 com os enredos “Amazonas, o Eldorado é aqui” e “Duque de Caxias, o caminho do progresso, o retrato do Brasil” respectivamente.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 2006

Cahê Rodrigues assumiu a escola como carnavalesco para seu desfile de 2009, tendo permanecido até o carnaval de 2012, tendo com o enredo “Das arquibancadas ao camarote número 1, um grande rio de emoção, na apoteose do seu coração” de 2010 de novo levado a escola a um vice-campeonato.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 2010

Para o carnaval de 2011 havia por parte da escola a expectativa de um grande desfile com o enredo “Y-Jurerê Mirim – A Encantadora Ilha das Bruxas (Um conto de Cascaes)”, mas um incêndio no período pré-carnavalesco no barracão da escola tirou da escola a chance de um primeiro campeonato, tendo o desfile acontecido, mas sem que a escola tenha sido julgada, situação esta que aconteceu com outras agremiações que também tiveram seus barracões atingidos pelo fogo que se espalhou. O fogo atrapalhou a preparação do desfile da escola e o desfile aconteceu sob chuva na passarela da Sapucaí, tendo sido o tenista Gustavo Kuerten muito aplaudido durante a passagem da escola, quando arremessava bolas de tênis para a plateia presente.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 2011

Cahê Rodrigues ainda ficou na escola no carnaval de 2012, tendo sido sucedido pelo carnavalesco Roberto Szaniecki, que retornou a escola para o carnaval de 2013 quando apresentou o enredo “Amo o Rio e vou à luta: ouro negro sem disputa… Contra a injustiça em defesa do Rio” conquistando a sexta colocação.

Fábio Ricardo esteve como carnavalesco da tricolor de Caxias nos carnavais de 2014 a 2017, com destaque para os desfiles de 2015 com o enredo “A Grande Rio é do baralho!” (terceiro lugar) e o inesquecível desfile de 2017 com “Ivete do rio ao Rio! ”, desfile que surpreendeu a todos com a homenageada Ivete Sangalo participando da comissão de frente e no alto da última agremiação da escola junto do marido e do filho, conquistando a escola com este desfile uma quinta colocação.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 2017

Recém-saídos do Acadêmicos do Salgueiro, o casal Márcia e Renato Lage foram para a Grande Rio no carnaval de 2018 com a proposta de um enredo sobre o velho guerreiro Chacrinha com o enredo “Vai para o trono ou não vai? ”.

Problemas de evolução e com alegoria que deu problema já na concentração da escola, ao final da apuração a agremiação terminou apenas com um décimo segundo lugar, o que em situações normais levaria a escola para desfilar no grupo de acesso no ano seguinte. Mas o fato é que houve uma virada de mesa e a escola acabou no grupo especial juntamente com o Império Serrano para 2019.

Acadêmicos do Grande Rio – Carnaval de 2018

O casal Lage ainda ficou na Grande Rio no carnaval de 2019, conquistando desta vez apenas um nono lugar.

Para 2020 a escola apostou numa nova dupla de carnavalescos, daí Gabriel Haddad e Leonardo Bora estrearam na agremiação e desenvolveram o enredo “Tata Londirá: O Canto do Caboclo no Quilombo de Caxias” levando a agremiação de volta a um vice-campeonato com um desfile muito aplaudido pela crítica carnavalesca especializada. Prova disso foi a escola alcançar o Estandarte de Ouro, do Jornal O Globo, como melhor enredo, melhor samba enredo, melhor intérprete, melhor ala de baianas, melhor escola e prêmio Fernando Pamplona pelo carro abre alas da escola pelo uso de materiais alternativos.

Acadêmicos do Grande Rio -Carnaval de 2020

Para o próximo desfile da escola os carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora já anunciaram o enredo “Fala, Majeté! Sete chaves de Exu”.

Acadêmicos do Grande Rio – Logo Carnaval de 2021

PARABÉNS GRANDE RIO…

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui