Pelotas/RS – Compositores pelotenses inscreveram samba para disputa no festival da Estação Primeira de Mangueira

0
1032

 

Mais uma vez a cidade de Pelotas é destaque no cenário do carnaval brasileiro, desta vez com a inscrição de um samba enredo de autoria de compositores pelotenses no festival da Estação Primeira de Mangueira, com vistas a escolha do samba que irá embalar o próximo desfile da verde e rosa do carnaval carioca.

A escola que notabilizou-se por suas cores verde e rosa no Rio de Janeiro recebeu a inscrição de 51 sambas e dentre estes deverá escolher aquele samba que deverá embalar o próximo desfile da escola na Marquês de Sapucaí.

Vinte vezes campeã do carnaval carioca a Estação Primeira de Mangueira no seu próximo desfile apresentará o enredo “Angenor, José & Laurindo” do carnavalesco Leandro Vieira, que está na escola desde o carnaval de 2016, tendo conquistado para a verde e rosa dois campeonatos, o de 2016 e 2019.

Estação Primeira de Mangueira – Carnaval de 2019

O samba é de autoria dos pelotenses Chico Professor, F Feijó, Maninho Veiga e de Marcele Cassalha, natural de São Lourenço do Sul, que atualmente reside na capital de São Paulo.

O quarteto de compositores são amigos que tem o carnaval como pauta o ano todo, participam de um grupo de mensagens e querendo concretizar um sonho, daí foi montada a parceria para compor o samba inscrito na disputa que foi aberta pela Mangueira.

Chico Professor é compositor desde 2003, tendo começado na ala compositores Samba de Cartola da Academia do Samba, agremiação originária da cidade de Pelotas. Vencedor de festivais na Xavabanda, Telles e Unidos do Fragata, também é integrante do grupo Renascença, onde tem composições registradas.

Fagner Feijó identifica-se como um carnavalesco nato. Um entusiasta da cultura popular, sendo compositor campeão na Unidos do Fragata e na General Telles, multicampeã do carnaval pelotense. Ocupa o posto de Presidente da Banda Xavabanda. Tem uma trajetória de sucesso em entidades carnavalescas pelas quais passou como diretor, ritmista e presidente.

Maninho Veiga é um amante do samba e estudioso do gênero. É um dos idealizadores do grupo Renascença, autor de várias obras que integram o DVD do grupo. Compositor campeão no festival dos 10 anos da Xavabanda, campeã no carnaval pelotense de 2019 na categoria de bandas carnavalescas.

Marcele Cassalha é uma foliã apaixonada. Já concorreu no festival de samba de quadra da Estação Primeira de Mangueira, ficando entre as primeiras colocadas. Desfila na Mangueira há algum tempo e não mede esforços para estar ao lado de sua escola do coração.

Nas palavras de Chico Professor “a inspiração para a composição do samba veio do enredo da Estação Primeira de Mangueira, sobre três baluartes da história da nossa festa, na maior Escola de Samba do Planeta, sendo inspiração suficiente e também uma responsabilidade muito grande. Falar dessas três figuras é falar de todo corpo que habita o morro de Mangueira. Uma homenagem a Cartola, Jamelão e Delegado é uma homenagem a todo mangueirense, a todo sambista. Ainda que cada um deles rendesse um enredo específico, a união dos três se dá no povo daquele lugar. Cartola, Delegado e Jamelão são uma bandeira do morro, são uma marca, a raiz, a semente que brota em cada filho da Mangueira.

Em tempos de isolamento e de discursos tão carregados, compor para esses três baluartes mangueirenses nos possibilitou momentos de leveza. Viajamos no legado que deixaram para todos. Tivemos todo cuidado e carinho na construção da obra. Ficamos felizes com o resultado e esperamos ser merecedores do apreço das pessoas pelo nosso samba.”

Sobre a gravação do clip para divulgação do samba, a ajuda de amigos foi imprescindível, ainda mais neste momento de pandemia. A gravação foi realizada em duas etapas, parte no estúdio no Rio de Janeiro, com a parceria do competente interprete e amigo Viny Machado e parte em Pelotas, onde contamos com a presença dos demais amigos do grupo de mensagem para “encorpar” o canto e sustentar o samba também aqui na cidade.

Para o quarteto de compositores, já estar entre os concorrentes é uma experiência gratificante. Avaliam que a safra da verde e rosa é excelente, com mais de 50 sambas de compositores consagrados e grandes obras.

“Estamos felizes em fazer parte disso. É uma honra estar próximo dos maiores compositores do nosso tempo. Logicamente que sonhamos em avançar na disputa, sabemos que a exigência é muito alta, mas estamos convencidos de que temos um bom samba. Ficamos felizes com o resultado. Acreditamos no formato que demos pro nosso samba um refrão mais forte na cabeça, com a narrativa sendo de um corpo de Mangueira e com dois falsos refrões que conectam os homenageados. Enfim, é uma honra estarmos participando, queremos mais, mas, como disse Wanderlei Monteiro: “ mas samba enredo só ganha um”. Com toda humildade e respeito, vamos à luta” diz Chico Professor.

Por fim, ainda embalados pelo enredo da Mangueira de 2019, o quarteto deu o nome a parceria em homenagem aos escravizados que foram traídos pela elite gaúcha durante a Revolução Farroupilha. São heróis da nossa história que a história não conta. Por eles e com a coragem que eles tiveram, somos o sambadoslanceiros.

LETRA DO SAMBA:

Bate outra vez o meu coração,

Descendo a ladeira, olhando pro céu

Inebriado na memória dessas cores

Sou poesia edificada no papel

Aos amores, dores e partidas…

A certeza que o sol nascerá

É alvorada, ouça-me querida, nas voltas da vida

Um Angenor a sorrir em seu lugar!

A voz vai encontrar Cartola! A voz vai encontrar!

A voz vai encontrar Cartola! A voz vai encontrar!

Sou o timbre retinto

De um Zé Clementino dos Santos… dos deuses

Onde o morro for falar,

Vai ecoar como um trovão

Marcando o som que resiste

Na beleza que reside

Pelo cenário da Primeira Estação

Negro Rei, o corpo quer dançar!

Negro Rei, bailado de um Obá.

Bailado de um Obá, Negro Rei!

O corpo quer dançar, Negro Rei!

Vou desafiando o tempo, sou a arte em movimento

Realeza em cada 10. A leveza e elegância…

Príncipe da ralé!

Risco o chão no dia a dia,

Passo a passo lá vou eu

Toda ginga é de Laurindo.

A semente floresceu

Eu sou Mangueira! A bandeira da favela

Eu sou Cartola, Delegado e Jamelão

Fala comigo!, entre becos e vielas

A minha essência é a negrura desse chão!

 

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui