O descobrimento do Brasil já deu muitos campeonatos no carnaval carioca

0
596

 

A chegada dos europeus no nosso território, naquele inesquecível 22 de abril de 1500, já foi muitas vezes retratada nos desfiles das escolas de samba brasileiras, seja em sua forma oficial, qual seja, fomos descobertos pelos portugueses, ou na versão mais moderna de que teríamos sido na realidade “achados”, uma vez que a existência do nosso território não seria um completo desconhecido na Europa.

Em seu primeiro campeonato no grupo principal das escolas de samba do Rio, no ano de 1979, a Mocidade Independente de Padre Miguel apresentou o enredo “O Descobrimento do Brasil”, desenvolvido pelo carnavalesco Arlindo Rodrigues, numa versão totalmente clássica dessa página da nossa história.

Mocidade Independente de Padre Miguel – Desfile de 1979

Caravelas portuguesas, índios e a figura do colonizador branco em sua chegada às nossas terras é muito recorrente de ser retratado nos desfiles carnavalescos pelo Brasil, havendo uma infinidade de desfiles onde essa cena é retratada como ponto de partida para a narrativa  de um enredo histórico.

No carnaval carioca do ano 2000, quando foram comemorados os 500 anos do Brasil, as agremiações cariocas de forma muito repetida, cada uma dentro do seu enredo, abusaram na apresentação de índios, caravelas e portugueses ao desembarcarem aqui, cada qual do seu ponto de vista, mais tradicional ou numa visão mais moderna.

“Vale a pena destacar que, especificamente, em 2000, as escolas de samba foram incentivadas a ressaltar os 500 anos de descobrimento do Brasil, levando em conta que a historiografia oficial tem em 1500 a data de seu descobrimento. Ademais, 2000 foi o último do século XX e do segundo milênio, representando um momento de reflexão para vários setores da sociedade.” – (Madson Luís Gomes de Oliveira – UFRJ – Levantamento e análise dos enredos históricos em 2000, a partir da leitura dos Históricos e das Justificativas descritos nos cadernos Abre-Alas, redigidos pelas próprias agremiações carnavalescas.

A Imperatriz Leopoldinense em 2000 apresentou o enredo “Quem descobriu o Brasil, foi Seu Cabral, no dia 22 de abril, dois meses depois do carnaval”, da carnavalesca Rosa Magalhães, tendo obtido com este desfile sua sétima estrela para colocar em seu pavilhão.

Imperatriz Leopoldinense – Desfile de 2000

Das quatorze escolas de samba do Rio que desfilaram no carnaval de 2000, quando se estava comemorando os 500 anos do Brasil, a visão tradicional desse e de outros capítulos da nossa história apareceu em seis desfiles, Grade Rio, Tradição, Portela, Salgueiro, Imperatriz Leopoldinense e Beija Flor, demonstração de que mesmo que renda um visual mais opulento e fácil de ser retratado, essa visão romântica está caindo no desuso, deixando lugar para algo mais contestador e real.

Beija Flor de Nilópolis – Desfile de 2000

Com certeza este assunto não se esgota nos desfiles acima citados, visto a grande frequência com que a chegada do europeu ao Brasil foi e ainda é retratada na passarela da Marquês de Sapucaí.

PARABÉNS BRASIL PELOS 521 ANOS DE MUITAS HISTÓRIAS E ESTÓRIAS

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui