“Nós Vamos pra Cima!”, diz o Dep. Federal Pastor Eurico após protocolar PL que proíbe carnaval em todo Brasil

1
400
Deputado Federal Pastor Eurico

Fica cada vez mais claro que o assunto “cancelamento do carnaval” não se trata apenas de preocupação com a descoberta, na África do Sul, da nova variante da Covid-19 e o aumento de casos de infecção da doença em países da Europa. Pegando carona no assunto, começam a surgir perfis que claramente demonstram o incomodo com a cultura popular.

Em vídeo postado na tarde no ultimo final de semana, o Deputado Federal Pastor Eurico (Patriota-PE) usa suas redes sociais para se colocar contra a realização do carnaval 2022 em todas as cidades brasileiras. Defendendo o governo, o parlamentar faz uso de termos como “vamos para cima”, sem apresentar solução eficaz para combater a pandemia no Brasil.

Citado na Operação Turbulência da Polícia Federal, que investiga desvios de 18,8 milhões da OAS em Pernambuco, o parlamentar evangélico confirma que protocolou um projeto de lei (PL 4183) para impedir a realização “de quaisquer festas, blocos carnavalescos ou eventos de pré-Carnaval, em ambientes abertos ou fechados, promovidos por iniciativa pública ou privada”.

Em 2014 Pastor Eurico foi destituído da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) devido à “forma intolerante” pela qual ele se manifestou em relação à apresentadora Xuxa Meneghel. Na ocasião a apresentadora foi à CCJ discutir o projeto que proibia pais e responsáveis legais por crianças e adolescentes de baterem nos menores, a chamada Lei da Palmada. Durante a sessão, o parlamentar se dirigiu à apresentadora de maneira áspera e criticou a presença dela na comissão, afirmando que, “em 1982, ela cometeu a maior agressão contra crianças“, em referência à participação da apresentadora, como atriz, no filme “Amor, Estranho Amor“.

Ainda em 2014, Eurico teve o seu projeto da “Cura Gay” analisado pelo Conselho de Ética do PSB e arquivado pela câmara.

Em Fevereiro deste ano, dos 25 parlamentares pernambucanos, pastor Eurico foi o único a votar contra a manutenção da prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), ordenada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Na ocasião, Silveira foi preso em flagrante pela Polícia Federal, por crime inafiançável, após publicar um vídeo em que atacava a Corte e pregava a volta do AI-5, o ato mais repressivo da ditadura militar.

Também em suas redes sociais é constatada a participação do parlamentar evangélico e bolsonarista, nos atos de 7 de setembro deste ano. Na ocasião a manifestação levou milhares de pessoas às ruas de grandes cidades como São Paulo, Brasília e Rio de janeiro. O Deputado não faz uso de máscara em nenhum registro de aglomerações politicas.

1 COMENTÁRIO

  1. Ei senhor “pastor”, que tal você também criar uma lei que proíbe aglomeração nas igrejas ou “templos” como você gosta de dizer, pq que ao invés de ficar atacado o carnaval, não vai achar algo mais útil pra fazer, deve de ta vem desocupado mesmo, viu não pense que o capeta está no carnaval não, ele pode estar dentro da sua casa, dentro da sua igreja e vc nem imagina, não pense que vai conseguir derrubar o carnaval, irá ter sim carnaval e o senhorzinho terá que engolir e ficar bem quietinho dentro sua igrejakkkkkkk

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui