JURADOS LIESA RJ – Alfredo Del-Penho

0
240

Alfredo Del-Penho – Julgador do Quesito Samba-enredo. O cantor, violinista, compositor e ator de 37 anos, natural de Cambuci/RJ, é formado em Música, Teatro, Dança e Congêneres pela UNIRIO.

Sua discografia inclui 6 álbuns. Já dividiu o palco com Chico Buarque e trabalhou com o compositor de samba-enredo Moacyr Luz. Considerado a nova geração da MPB brasileira, iniciou sua carreira nos bares da Lapa no Rio de Janeiro/RJ.

Como ator atuou em peças de teatro em homenagem a Lupicínio Rodrigues e Ariano Suassuna.

Estreou como julgador da LIESA em 2016, e apenas em 2018 suas notas não foram contabilizadas. Nesses 3 carnavais (2016, 17 e 19), julgou 38 desfiles, pontuando 16 notas 10.

Salgueiro, Mangueira e Portela sempre receberam notas máximas de Alfredo e Grande Rio, Estácio de Sá, Império Serrano, Viradouro e São Clemente, nunca foram contempladas com notas dez.

Dos 6 desfiles que abriram os carnavais enquanto foi julgador, apenas União da Ilha recebeu nota máxima em 2017.

Em seu primeiro ano, 2016, tirou pontos da Grande Rio por julgar o samba pobre, da Estácio e Ilha por falta de criatividade, da Beija-Flor pela melodia confusa, Mocidade devido aos versos sem inspiração e da Vila Isabel pela letra desconexa.

Das escolas que foram avaliadas nos 3 anos pelo jurado, a São Clemente é a mais penalizada. “Letra sem inspiração” e “samba marcheado” em 2016, “letra curta” e “samba sem pico” em 2017 e “samba datado” em 2019.

É de Alfredo Del-Penho as justificativas: “letra clichê” (ao usar os termos “aquele abraço” e “samba no pé” em enredo sobre a Tropicália de Gilberto Gil) no Tuiuti de 2017; “palavra inglesa no meio” (uso do termo “my brother”) na Tijuca também de 2017, “letra sem narrativa” na Viradouro de 2019 e “versos com mesmo ritmo” no “samba louvor” (apelidado por alguns críticos) da Tijuca de 2019.

Compositores consagrados não garantiram notas máximas do julgador, Martinho levou 9,9 (Vila Isabel em 2016), Elymar Santos recebeu 9,7 (Imperatriz 2019), Diego Nicolau ficou com 9,9 (Mocidade 2019) e Márcio André ganhou 9,8 (Unidos da Tijuca 2019).

Entre os grandes, apenas Dudu Nobre foi pontuado com 10 na Unidos da Tijuca de 2016 e Zé Katimba na Imperatriz também de 2016.

Seu amigo e sócio em alguns projetos, Moacyr Luz, ganhou nota máxima em 2019 com o Tuiuti e 9,7 no mesmo ano com Grande Rio.

Neste último carnaval, Del-Penho apontou as menores notas, entre todos os 4 julgadores de Samba-enredo, para 7 agremiações: Império Serrano (9,6), Viradouro (9,8), Grande Rio (9,7), Beija-Flor (9,8), Imperatriz (9,7), Vila Isabel (9,8) e União da Ilha (9,7).

Saiba mais:

No quesito Samba-Enredo a LIESA orienta no “Manual do Julgador” que seja concedido notas de 9 até 10.

5 pontos para “Letra”, considerando adequação ao enredo, riqueza poética, beleza, entrosamento de versos com melodia.

5 pontos para “Melodia”, avaliando ritmo, riqueza melódica, beleza, harmonia do canto e dança com a música.

Não se deve julgar: merchandising no samba, panes no som e questões inerentes a outros quesitos.

Redação: Thiago Cânepa Amorim

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui