JORGE FREITAS

0
496

 

“A escola pra mim tem que ser movimentada sempre, com cursos, atividades culturais, esportivas, enfim, aberta a comunidade como uma escola”. (Jorge Freitas referindo-se ás escolas de samba)

O carnavalesco Jorge Freitas, nascido em Nova Friburgo, no ano de 1963, iniciando sua carreira como profissional do carnaval no ano de 1986 em um bloco de enredo da cidade de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro.

Em 1990, atuou pela Vilage no Samba, também de Nova Friburgo, conquistando seu primeiro título como carnavalesco em uma agremiação carnavalesca.

No ano de 1993, na cidade de Macaé, fez o carnaval da Unidos dos Bairros. No ano de 1994 concretizou, também em Macaé, trabalhos pela escola de samba Império da Barra, conquistando mais um campeonato. Conquistou mais uma vitória em 1995 quando trabalhou pela Unidos de Imboassica.

Em 1996, voltou a Império da Barra e assinou seu primeiro carnaval na cidade do Rio de Janeiro, pelo Arranco do Engenho de Dentro, sagrando-se campeão pelo Grupo B.

Jorge Freitas no carnaval do Rio de Janeiro passou pelos grupos de acesso que desfilam na Intendente Magalhães e pelo grupo de elite das escolas cariocas. Desde o carnaval de 2005 transferiu-se em definitivo para o carnaval de São Paulo, com vários campeonatos alcançados.

Graduado em Educação Física e também Educação Artística, por 26 anos foi o Regente da Banda Marcial do Colégio Nossa Senhora das Mercês de Nova Friburgo.

 

Em 1997, quando também assumiu como carnavalesco da Unidos de Vila Isabel, no grupo especial do carnaval carioca, formando dupla com Claudio Vieira, desfile que alcançou a nona colocação, a melhor colocação obtida até o carnaval de 1999, quando Jorge Freitas deixou a Vila.

A relação entre Jorge Freitas e a Unidos de Vila Isabel perdurou até o carnaval de 1999, quando dividiu o carnaval da escola com João Luis de Moura.

Nesse mesmo ano de 1999, Jorge Freitas também fez o carnaval da escola de samba Imperatriz de Olaria, sediada na cidade de Friburgo.

De 2000 a 2003 atuou como carnavalesco da Gaviões da Fiel, de São Paulo, tendo alcançado dois campeonatos pela escola nos carnavais de 2002 e 2003, com os enredos “Xeque-Mate” e “As Cinco Deusas Encantadas na Corte do Rei Gavião” respectivamente.

No carnaval de 2003 Jorge Freitas também idealizou o desfile da Unidos de Vila Isabel, na época no grupo de acesso A, tendo apresentado o enredo “Oscar Niemeyer, o Arquiteto no Recanto da Princesa”, mas um terceiro lugar não foi o suficiente para a escola ser promovida de volta ao grupo especial carioca naquele carnaval. Também em 2003 assinou o desfile da Unidos da Saudade, em Nova Friburgo, onde se sagrou mais uma vez como campeão na cidade.

Retornando a atuar no grupo especial do Rio, no carnaval de 2004 Jorge Freitas idealizou a reedição do enredo da Majestade do Samba “Lendas e Mistérios da Amazônia”, originalmente idealizado por Clóvis Bornay e Arnaldo Pederneiras, apresentado pela Portela no carnaval de 1970, dando o campeonato à escola naquela ocasião. Mesmo mediante um belo e grandioso desfile, a reedição rendeu apenas uma sétima colocação à agremiação.

O ano de 2005 marca o retorno do carnavalesco aos desfiles de São Paulo, pela Gaviões da Fiel, naquele ano desfilando pelo grupo de acesso do carnaval paulistano. O tema apresentado foi “Renasce, sacode a poeira e dá a volta por cima”, dando o campeonato à escola e sua promoção de volta ao grupo principal das escolas de samba da capital paulista.

Nesse mesmo carnaval de 2005 na Unidos da Saudade, atinge o tricampeonato.

Com este resultado positivo, ocorre a permanência do carnavalesco na Gaviões da Fiel para o carnaval de 2006, desde vez o tema de enredo apresentado foi “Asas da Fascinação”, mas a colocação alcançada foi muito ruim, já que a escola ficou com o 15º lugar, , o que rebaixou a escola de novo para as séries inferiores.

No ano seguinte o carnavalesco divide seu trabalho entre a Pérola Negra, na elite do carnaval de São Paulo, naquele ano e permanece na Gaviões da Fiel, então no grupo de acesso, onde apresenta o tema “Anchieta, José do Brasil”, obtendo o primeiro lugar e a volta ao grupo principal, mais uma vez.

“Meu objetivo maior hoje dentro de uma agremiação, é atingir o componente, porque ele bem preparado e motivado, a probabilidade de erro, é quase zero”. (Jorge Freitas)

A partir do carnaval de 2008, Jorge Freitas assume os trabalhos na Sociedade Rosas de Ouro, atualmente dirigida pela Presidente Angelina Basílio e permanece na agremiação até o carnaval de 2015. Nesse período de trabalho na “Roseira”, Jorge Freitas foi campeão em 2010 com o enredo “Cacau: um grão precioso que virou chocolate, e sem dúvida se transformou no melhor presente” e vice-campeão nos anos de 2012,2013 e 2014.

Jorge Freitas despediu-se da Rosas de Ouro no carnaval de 2015, com um terceiro lugar alcançado com o enredo “Depois da Tempestade… O Encanto!”.

 

Transferindo-se para a Império de Casa Verde no carnaval de 2016, a chegada do carnavalesco rende à agremiação um campeonato já no primeiro desfile, com o enredo “O Império dos Mistérios”. Permanecendo na escola ainda nos carnavais de 2017 e 2018, a melhor colocação alcançada foi um quarto lugar em 2017 com o enredo “Paz. O Império da Nova Era”.

Transferindo-se para a Mancha Verde no carnaval passado, Jorge Freitas alcançou o primeiro lugar no grupo especial, título este inédito para a escola, com o enredo “Oxalá, salve a princesa! A saga de uma guerreira negra”.

O carnavalesco segue na Mancha Verde para 2020 e sua proposta de tema de enredo é “Pai! Perdoai, eles não sabem o que fazem!”.

“Hoje eu não me considero um Carnavalesco, sou um diretor artístico que precisa tocar o seu projeto, e esse projeto depende da parte plástica e da parte humana, essa é a minha metodologia de trabalho”. (Jorge Freitas)

 

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui