JOÃO VÍTOR ARAÚJO

0
99

 

Mesmo que só tenha estreado como carnavalesco solo no carnaval carioca de 2014, a carreira de João Vítor Araújo na preparação de desfiles começou no ano de 2000, quando atuou no barracão da Portela, na época sob o comando do renomado carnavalesco Alexandre Louzada, responsável pelo desfile da Majestade do Samba em seu desfile para 2001.

Nascido no Rio de Janeiro, João Vítor além de carnavalesco é figurinista e designer gráfico de indumentária, tendo ainda na sua adolescência iniciado a frequentar a quadra da União da Ilha do Governador, onde auxiliou na confecção de fantasias e desfilou na escola como componente.

O carnavalesco também atuou na Estação Primeira de Mangueira, ocasião em que desempenhou as atividades de aderecista e depois promovido a chefe de adereço sob a batuta do carnavalesco Max Lopes.

Em 2006 teve sua primeira participação na Unidos do Viradouro, na época fazendo parte da equipe de Paulo Barros na preparação do desfile com o enredo “A Viradouro vira o Jogo”, desfile este apresentado em 2007.

Unidos do Viradouro 2007

João Vítor ainda trabalhou na equipe de Fábio Ricardo quando este foi carnavalesco da Acadêmicos da Rocinha.

Os carnavalescos Luis Carlos Bruno e Edson Pereira também contaram com João Vítor em suas equipes.

Sua estreia profissional como carnavalesco, como já foi dito, se deu no carnaval do Rio de 2014, na época pela Unidos do Viradouro no grupo de acesso com o enredo “Sou a terra de Ismael. Guanabaran vou cruzar, para você tiro o chapéu, Rio eu vim te abraçar”.

Unidos do Viradouro 2014

Foi uma estreia vitoriosa já que a Viradouro alcançou o topo do pódio e com isso foi promovida a voltar ao grupo especial das escolas de samba do Rio de Janeiro, uma vez que a escola estava desde o carnaval de 2011 no grupo de acesso.

Esse desfile da Unido do Viradouro de 2014 só não recebeu nota máxima no quesito comissão de frente, terminando então com 299,9 pontos, meio ponto à frente da vice-campeã Estácio de Sá. Com este desfile a escola de Niterói foi premiada com o  Estandarte de Ouro, concedido pelo jornal “O Globo” à melhor escola do grupo de acesso.

Campeão, João Vítor permaneceu na Viradouro no carnaval de 2015, quando finalmente estreia no grupo principal das escolas de samba cariocas como carnavalesco.

Para esse desfile João apresenta o enredo “Nas veias do Brasil, é a Viradouro em um dia de graça!”, desfile este que foi bastante prejudicado pela chuva que a escola enfrentou desde a concentração do desfile, não sendo capaz de manter a escola no grupo principal, já que alcançou apenas a décima segunda colocação, fazendo com que a agremiação fosse de novo para o grupo de acesso.

Unidos do Viradouro 2015

Rebaixada, a Viradouro abriu o carnaval do Grupo Especial do Rio, já que veio do acesso no carnaval passado  e sofreu com a chuva, que danificou as plumas de algumas fantasias. A escola também acabou prejudicada com falhas no som da Sapucaí. A última alegoria apresentada pela escola trazia anjos negros, um deles com braço danificado. Problemas com a não colocação de destaques na quarta alegoria, também fez com que os destaques tivessem que desfilar no chão, situação esta que também prejudicou a avaliação da escola.

Nesse mesmo carnaval de 2015, mas na capital do Espírito Santo, João Vítor assinou o desfile da Novo Império, com o enredo “Espelho, espelho meu”, desfile que foi premiado com o quinto lugar.

No carnaval de 2016 João Vítor não teve trabalho seu como carnavalesco disputando na passarela carioca.

João Vítor voltou à Sapucaí no carnaval de 2017, quando pela Acadêmicos da Rocinha apresentou o enredo “No saçarico do Marquês, tem mais um freguês. Viriato Ferreira”, ocasião em que a escola estava no grupo de acesso do Rio.

Acadêmicos da Rocinha 2017

Esse desfile da Rocinha foi bastante elogiado, tendo a escola alcançado a sexta colocação.

No grupo principal, em 2017, João Vítor fez parte da equipe de Paulo Barros na Portela, tendo a agremiação alcançado seu último título na Sapucaí, no grupo especial das agremiações carnavalescas cariocas.

Nos carnavais de 2018 e 2019 João Vítor assumiu como carnavalesco na Unidos de Padre Miguel, agremiação do grupo de acesso carioca, tendo em 2018 alcançado um vice-campeonato com o enredo “Eldorado submerso: Delírio Tupi-Parintintin”.

Unidos de Padre Miguel 2018

Esse desfile da UPM segundo a crítica especializada foi exuberante e impecável. As únicas, e mínimas, falhas observadas no desfile da escola foram a falta de água no lado direito do abre-alas e um problema na asa de um dos componentes da comissão de frente durante a apresentação na segunda cabine de avaliadores.

Para 2019 o enredo da Unidos de Padre Miguel foi “Qualquer semelhança não terá sido mera coincidência”, desfile este que levou a agremiação a sexta colocação.

A Unidos de Padre Miguel entrou na Sapucaí, já na madrugada de sábado, mas problemas de evolução contribuíram para tirar a escola da briga pelo título. No final do desfile, a escola correu e mesmo assim não conseguiu terminar a apresentação no tempo regulamentar. Com estouro de três minutos, a escola perdeu 0,3 pontos na apuração.

Unidos de Padre Miguel 2019

No carnaval passado João Vítor retornou ao grupo de elite das escolas de samba do Rio de Janeiro com trabalho desenvolvido na Paraíso do Tuiuti, quando desenvolveu o enredo “O Santo e o Rei: Encantarias de Sebastião”. Com este desfile a Paraíso ficou com o décimo primeiro lugar.

Com este enredo a agremiação abordou a história do rei Dom Sebastião, rei de Portugal desaparecido no século 16 após uma batalha no Marrocos e que é cultuado até hoje, com a figura de São Sebastião, padroeiro do Rio de Janeiro e também da Paraíso do Tuiuti.

Para o próximo carnaval carioca João Vitor foi anunciado como carnavalesco da São Clemente, numa parceria com Tiago Martins, tendo a escola anunciado o enredo “Ubuntu”.

São Clemente muda estilo e vai levar mensagem de humanismo para a ...
São Clemente – Logo Carnaval 2021

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui