DESTAQUE DE LUXO – O DETALHISTA CHRISTIAN GUILLARDUCCI

0
485

No mundo dos destaques de luxo do carnaval paulista, o nome de Christian Miguel Guillarducci, um paulistano, neto de italianos, que fora do mundo da folia abraçou a profissão de médico veterinário é muito conhecido e respeitado, sendo ele reconhecidamente um amante das artes e dos animais.

Christian no desfile da Mocidade Alegre – Carnaval de 2018 – enredo “A voz Marrom que não deixa o samba morrer”

Christian sempre se reconheceu como uma pessoa apaixonada pelos festejos de Momo desde muito cedo, tendo iniciado a admirar a festa pelas páginas da revista Manchete primeiramente, tendo logo após passado a acompanhar os desfiles pela extinta Rede Manchete e posteriormente através da transmissão dos desfiles pela Rede Globo.

Os concursos de fantasias deixavam nosso personagem extasiado com tanto luxo e beleza das fantasias apresentadas pelos ícones da folia carioca principalmente, onde nos concursos de luxo eram apresentadas belas fantasias, multicoloridas, com temas diversos e principalmente muita majestade e glamour. O concurso de gala do Hotel Glória era um desses certames, dentre outros, que chamava muito a atenção de Christian. Ele ficava até altas horas à frente da televisão para não perder  nenhum detalhe das apresentações das grandes estrelas dos concursos de fantasias.

Christian no desfile da Tom Maior – Carnaval de 2015 – enredo “Adrenalina”

Christian não perdia nenhum detalhe dos desfiles, chegando a ficar os quatro dias de folia a frente do aparelho para não perder nada da transmissão dos desfiles das grandes escolas de samba.

Destes desfiles que assistia, posteriormente vinha a inspiração dele para a criação de fantasias que usaria para brincar o carnaval em sua cidade.

O envolvimento de Christian com a arte,  a musica e os desfiles iniciou-se pela sua participação em fanfarras, começando pelo corpo musical desses grupos e posteriormente tendo passado para o corpo coreográfico. Também se destacou cuidando dos uniformes do grupo, tendo chegado à confecção de bordados, cabeças e roupas das balizas, que normalmente vem à frente do conjunto de músicos, realizando belas apresentações acrobáticas que rendiam muitos aplausos da assistência nas apresentações realizadas, especialmente nos diversos concursos de fanfarras.

Christian num concurso de fanfarras na cidade de Santos/SP

Nessa etapa de sua caminhada nosso personagem destaca a figura do mestre professor Zilton Bicudo, com o qual aprendeu muitas coisas que leva até hoje para suas atividades , principalmente disciplina , organização, o amor pelas artes e na sua avaliação o mais importante, que foi despertar a sua criatividade.

Christian no desfile da Mocidade Alegre – Carnaval de 2013 – enredo “A Sedução me fez provar, me entregar à Tentação… Da Versão Original, qual será o final?”

Frente a todo o destaque que seu trabalho obteve como reconhecimento, Christian acabou sendo convidado  para ocupar o posto de coreógrafo e responsável por toda a parte de indumentária da fanfarra do Colégio Centenário Casa Verde, de São Paulo.

Com o passar do tempo, Christian acabou ingressando  no curso de medicina veterinária, deixando por fim de participar das fanfarras, mas nunca perdendo a vontade de conhecer e participar do brilhante mundo do carnaval.

Foi através do convite feito por amigos que Christian acabou por fim pisando na quadra de uma escola de samba paulista, cabendo a Mocidade Alegre, dez vezes campeã do grupo de elite do carnaval de São Paulo, encantar em definitivo o nosso personagem e levá-lo para esse mundo das escolas de samba, aspiração esta que ele já tinha há muitos anos. A primeira vez de Christian  na quadra da Mocidade Alegre se deu exatamente no último ensaio da escola frente ao carnaval de 2006.

Frequentando a Mocidade Alegre, deparou-se ele com a figura da Presidente da escola, Solange Cruz Bichara Rezende, primeira mandatária  da agremiação desde o ano de 2003, que imediatamente trouxe a mente de Christian a lembrança de Mestre Zilton, pelas atitudes tomadas por ambos, principalmente na característica de liderança.

O amor a primeira vista pela escola do bairro do Limão foi tamanha, que Christian, com a ajuda de terceiros, já desfilou pela escola no ano de 2006, quando a agremiação apresentou o enredo “Das Lágrimas de Iaty Surge o Rio, do Imaginário Indígena a Saga de Opara. Para os Olhos do Mundo um Símbolo de Integração Nacional: Rio São Francisco”, enredo este desenvolvido pelo carnavalesco Zilkson Reis.

Primeiro desfile de Christian pela Mocidade Alegre como composição de alegoria – Ano de 2006

Faltando muito pouco para o desfile da escola, uma roupa de composição foi conseguida para que nosso personagem pudesse finalmente pisar na passarela do Anhembi pela primeira vez, para nunca mais deixar de desfilar, tendo por fim a escola conquistado a terceira colocação nessa sua primeira incursão pelo desfile em uma agremiação carnavalesca.

Desta forma, desde o carnaval paulista de 2006 Christian começou a desfilar em várias agremiações que passaram pela passarela do Anhembi, como componente de ala ou composição de carro, tendo desfilado na Tom Maior, Imperador do Ipiranga, Nenê de Vila Matilde e Acadêmicos do Tucuruvi, sendo que na Mocidade Alegre passou a desfilar como composição de alegoria sempre.

Destacando-se em suas participações nos desfiles da Mocidade Alegre, Christian acabou recebendo convite do carnavalesco Sidney França para ingressar no seleto grupo de destaques da escola para o desfile da agremiação no ano de 2010, carnaval então que marca a promoção do nosso personagem a destaque de luxo de alegoria da escola sediada no bairro do Limão.

Primeiro ano de Christian como destaque de luxo de alegoria na Mocidade Alegre – Ano de 2010 – enredo “Da criação do universo ao sonho eterno do criador … Eu sou espelho e me espelho em quem me criou”

A partir desse momento, ele passou a receber convites de outras agremiações paulistas para desfilar também como destaque, brilhando em suas alegorias, representando os mais diversos personagens, dentro dos enredos apresentados por cada escola, personagens estes históricos ou não.

Até aqui Christian somente desfilou na capital de São Paulo nas diversas escolas de samba já referidas, tanto agremiações do grupo principal, quanto escolas que desfilam no grupo de acesso, não descartando contudo vir a desfilar na Marquês de Sapucaí, recebendo algum convite para isso que se mostre interessante e viável.

Já no carnaval paulista de 2011, Christian brilhou no carro abre alas da escola  de samba Camisa 12, na época desfilando pelo grupo 1 da UESP, ocasião em que a escola apresentou o enredo “Sou a base de alimento secular. Faço a massa que alimenta a massa e a bebida que festeja a alegria, muito prazer sou o trigo!”, tendo ele com  sua fantasia representado a figura de um faraó egípcio.

Christian no desfile da Camisa 12 – Carnaval de 2011 – enredo “Sou a base de alimento secular. Faço a massa que alimenta a massa e a bebida que festeja a alegria, muito prazer sou o Trigo!”

As belas fantasias apresentadas por nosso personagem também embelezaram os desfiles da Tom Maior por dois anos consecutivos e no último carnaval paulista esteve no abre alas da Mocidade Unida da Mooca, na representação de um rei africano.

 

Lógico que Christian ao longo de sua trajetória pelo mundo do carnaval, tem em sua memória grandes figuras que ficaram para sempre marcadas na história desta grande festa genuinamente brasileira, como é o caso de Clóvis Bornay e a irreverente Wilza Carla, que durante sua passagem por aqui, muito abrilhantaram os grandes concursos de fantasias e também os desfiles de diversas agremiações carnavalescas e que ainda servem de inspiração para muitos.

Nos nossos dias sua referência é seu “padrinho” Maurício Pina, dos grandes destaques do carnaval brasileiro, que desfila no eixo Rio – São Paulo anualmente, sempre encantando a todos com as roupas por ele confeccionadas para desfilar na Mocidade Alegre, em São Paulo e no Acadêmicos do Salgueiro no Rio de Janeiro. Christian também destaca a figura da amiga Rita Passos Dotta, que já teve passagem por diversas agremiações paulistas, também como destaque de luxo.

Christian no desfile da Mocidade Alegre – Carnaval de 2017 – enredo “A vitória vem da luta, a luta vem da força, e a força, da união”

Segundo Christian a confecção de cada fantasia guarda uma série de detalhes que ficam por muitas vezes completamente desconhecidos do grande público. Primeiramente quanto aos materiais utilizados para confecção da roupa, ele nos relata por exemplo, que no caso da fantasia utilizada no ano de 2018 na Mocidade Alegre, que fazia referência ao boi bumbá do Maranhão, todo figurino contou para sua confecção com com rendas compradas no próprio estado do Maranhão que passaram por processo de tingimento. Já no ano em que sua fantasia representava a figura de São Pedro, toda as redes utilizadas foram feitas pela comunidades ribeirinhas de Parintins, localizada no estado do Amazonas e nas roupas confeccionadas para a representação de Iemanjá e Xangô, todas as conchas e búzios utilizados eram originais.

Pode ser uma imagem de 1 pessoa
Christian no desfile da Mocidade Alegre – Carnaval de 2019 – enredo “Ayakamaé – As águas sagradas do sol e da lua”

Outro detalhe muito destacado na preparação para o carnaval pelo nosso personagem é que uma vez definido aquilo que de fato sua roupa vai representar, ele logo passa a fazer uma pesquisa sobre a vida e o comportamento, caso seja um personagem, para que alcance uma melhor performance no momento do desfile.

A “cereja do bolo” para atingir o melhor resultado possível vem com a realização de uma maquiagem perfeita e realizada por um profissional competente, já tendo Christian passado por processos dessa natureza que duraram cerca de cinco horas, contando ainda com a colocação de próteses.

Para a composição do personagem que representou no carnaval paulista do ano de 2014 pela sua Mocidade Alegre, o Anjo Guardião da Eternidade Prometida, a transformação de Christian durou horas até que se chegasse ao resultado final apresentado na passarela do Anhembi.

Christian ainda nos relata que todos aqueles que o conhecem, sabem o homem de fé que ele é e que a fé o move. No ano em que a Mocidade Alegre apresentou como enredo Ojuobá, onde obrigatoriamente haveria a referência no desfile à figura de Xangô, ele acabou numa noite sonhando que vestiria a roupa para representação do orixá, mas que obrigatoriamente deveria obedecer todos os preceitos necessário para obter essa autorização.

No dia seguinte ele foi chamado pelo carnavalesco da Mocidade Alegre na época, Sidney França, que o comunica que viria no próximo desfile da agremiação representando o orixá.

Christian no desfile da Mocidade Alegre – Carnaval de 2012 – enredo “Ojuobá – No Céu, os Olhos do Rei… Na Terra, a Morada dos Milagres… No Coração, Um Obá Muito Amado!”

Uma vez comunicado, logo Christian, ainda sob a forte emoção que essa situação lhe trouxe, procurou o pai de santo Rodenry que logo providenciou tudo aquilo necessário para que fosse obtida a permissão o orixá, que através de um jogo de búzios permitiu o solicitado, mas ao mesmo tempo deixou a informação de que o caminho seria árduo, o que acabou confirmando-se, já que até fogo aconteceu no barracão da agremiação.

Sobre esse desfile que Christian destaca como sendo o seu carnaval inesquecível, por todas as circunstâncias vividas desde o comunicado de que representaria seu orixá de cabeça, recorda de ter vestido a fantasia, subido no carro e nos diz que durante o desfile foi como se estivesse numa espécie de transe, já que se recorda de ter voltado a si somente no dia seguinte ao desfile, tendo inclusive deixado de desfilar em outras duas outras escolas, após a passagem da Mocidade Alegre naquela noite, possuindo ainda a fantasia usada nesse carnaval guardada intacta.

O carnavalesco Sidney França, que participou de todo esse processo para a criação da fantasia e  desfile da Mocidade Alegre no ano de 2012, mandou esse depoimento ao nosso personagem:

Christian, até aqui, nunca teve participação ativa em espetáculos e shows fora do Brasil com suas belas fantasias, mas muitas de suas roupas, que acabaram sendo vendidas para terceiros, foram peças importantes em shows de um grupo chinês e acabaram sendo apresentadas ao redor do mundo, por onde esta trupe participou.

Christian no desfile da Mocidade Alegre – Carnaval de 2016 – enredo “Ayô – A Alma Ancestral do Samba”

No princípio as primeiras fantasias vestidas por Christian Guillarducci foram confeccionadas pelo ateliê de Toninho Pitta, responsável pela confecção de várias fantasias de destaques para o carnaval, mas na medida em que o ateliê fechou suas portas, outros ateliês foram procurados, mas não houve acerto com nenhum, em função do nosso personagem ser muito exigente e detalhista.

A partir daí foi montada uma equipe composta por amigos do nosso personagem de São Paulo e outros de Parintins, onde na confecção da fantasia criada pelo carnavalesco da agremiação, todos colocam a não nas diversas etapas da confecção, incluindo o próprio Christian.

Christian no desfile da Mocidade Alegre – Carnaval de 2011 – enredo “Carrossel das Ilusões”

A não realização dos desfiles em 2021, frente a este momento de pandemia pelo qual o mundo está passando, para Christian Guillarducci foi muito triste, pelo fato do carnaval fazer parte de sua vida e também pelo motivo de estar no carnaval grande parte de seu ciclo de amigos, havendo quem tenha sucumbido a Covid-19.

A expectativa do nosso personagem é por um próximo carnaval de renascimento, inesquecível, o carnaval do século, já estando trabalhando em sua próxima fantasia, que virá no carro abre alas da Mocidade Alegre, acompanhando seu padrinho Maurício Pina.

Maurício Pina, destaque de luxo, conhecido nacionalmente pelas belas fantasias, desfilando na capital de São Paulo e no Rio de Janeiro, não pôde deixar de mandar um recado para o “afilhado de carnaval” Christian:

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui