O Artista Plástico João Pereira Pasqua Filho é natural de Ribeirão Preto, interior do estado de São Paulo. Pasqua que viveu a infância até a fase adulta na sua cidade natal, aos vinte oito anos radicou-se na Capital Paulista. Estamos falando de um dos nomes mais emblemáticos no meio dos Destaques de Luxo do Carnaval no Brasil.

Seu primeiro contato com o carnaval foi na infância, onde levado por seus pais João Pereira Pasqua e Maria Aparecida Gomes Pasqua, conseguiu ver pela primeira vez os desfiles das escolas de samba que ocorriam na  Avenida da Saudade em Campos Eliseos, Ribeirão Preto/SP. Haviam poucas escolas em Ribeirão, talvez três ou quatro, mas o que ficou marcado para o jovem Pasqua foi a passagem do Grêmio Recreativo Escola de samba Bambas, a mais antiga e sempre a esperada escola da Capital Nacional do Agronegócio.

Nos anos setenta eram comuns os bailes de carnaval nos clubes do interior paulista. A presença da família Pasqua era frequente nos Clube Palestra Itália e Clube de Regatas de Ribeirão Preto. Adolescente, João Pasqua sempre assistia pela TV os desfiles das escolas de samba do Rio e principalmente concursos de fantasias.

Carnaval em Ribeirão Preto

Aos 28 anos já radicado na capital de São Paulo capital, onde foi contratado como decorador da rede de joalheria H.Stern, João conheceu um grupo de artistas plásticos que desfilavam no Rio de Janeiro. Através deste grupo, em 1981 ocorre o convite  para desfilar pela primeira vez e a realização de um sonho. O convite era para desfilar na Imperatriz Leopoldinense, em uma ala de paulistas liderada pelo artista plástico Darcy Penteado. O líder era  amigo do carnavalesco Arlindo Rodrigues que assinava para a Rainha de Ramos o enredo campeão “O teu cabelo não nega”, homenagem a Lamartine Babo. As fantasias eram todas confeccionadas em São Paulo e o grupo chegava ao Rio no carnaval pronto para o desfile.

Assim que pisei pela primeira vez na avenida! Após os dias de carnaval, voltamos a São Paulo. A Imperatriz foi a grande campeã do carnaval em 1981. Para comemorar o resultado o resultado, o grupo se reuniu em um restaurante em São Paulo. Em seguida voltamos
ao Rio para o desfile das campeãs. Nos desfiles da Imperatriz Leopoldinense era comum grandes destaques nos carros alegóricos, que me deixaram encantado. Lembro-me do falecido apresentador  do Clodovil Hernandes fantasiado de Dragão, foi a confirmação do meu desejo em ser destaque.

Imperatriz Leopoldinense – ala 1982

No ano seguinte 1982, voltamos a desfilar na Imperatriz Leopoldinense com o enredo
Onde Canta o Sabiá”. Desta vez a ala representava a Corte de Maurício de Nassau.

Em 1984 João conhece o carnavalesco José Maria Zolesi em São Paulo, que o convida para desfilar na E.S. Flor da Vila Dalila (SP). Pasqua fez uma fantasia de Arlequim que era um figurino sem costeiro. Neste ano os desfiles de São Paulo ainda ocorriam na avenida
Tiradentes. Foi o seu primeiro Destaque. Em 1986 José Maria Zolesi se transfere para a escola Colorado do Brás (SP) e leva João Pasqua, que desfila fantasiado de “Netuno” para o enredo “Ah! Se eu fosse Noé “. A pedido do carnavalesco, acabou por desenhar todos os figurinos da escola. Assim o artista plástico começa a ter maior envolvimento com os bastidores de uma Escolas de Samba. Com a fantasia de 86, Pasqua desfilou no concurso de fantasias de Ribeirão Preto classificando-se em segundo lugar.

Em 1987 desfilou na Mocidade Alegre (SP), a convite do saudoso carnavalesco Tito Arantes do Nascimento, com a fantasia “Luz do Sol”. Com essa fantasia volta a participar do concurso de fantasias de Ribeirão Preto, repetindo o resultado do ano anterior. No mesmo ano João Pasqua desenhou os figurinos dos destaques para o enredo campeão “A Volta ao Mundo em 80 Minutos” na Escola de Samba Vai Vai, a pedido do carnavalesco Ciro Nascimento. Após a desistência de última hora de um dos destaques, de ultima hora, Ciro que é conhecido como “Arouche, chama João para suprir aquela ausência no Abre Alas. A fantasia que representava o Oriente, era uma adaptação do figurino do ano anterior. Devido o campeonato, a fantasia ilustrou a capa do LP com os sambas enredos de 1988.

Empolgado com os concursos de fantasias, em 1988 João confeccionou a fantasia “Pássaro
Azul” com direcionamento a disputar em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde concorre pela primeira vez no Clube Monte Líbano. Na Cidade Maravilhosa, Atílio Bambadila apresentou o Destaque João Pasqua ao carnavalesco Alexandre Louzada, até então na Unidos do Cabuçú. O carnavalesco gostou tanto da fantasia em tom de azul que encaixou o figurino no enredo sobre“Os Trapalhões”. Em sua estreia no Rio, João desfilou no carro “O Auto da Compadecida” representando um anjo dentro do enredo “O mundo mágico dos Trapalhões“. Fica na escola por mais dois anos. Em 1989 Milton Nascimento era  o enredo da Unidos do Cabuçu. A pedido do cantor, a escola não poderia ter plumas. Joao Pasqua veio na alegoria “Menestrel das Alagoas” com a fantasia de Pierrot e teve que criar duas versões para o figurino. Uma com plumas para os concursos e outra sem para o desfile. No mesmo ano faz uma segunda fantasia chamada “Vaidade o grande Pecado Capital”. Com ela fatura o  primeiro lugar em Ribeirão Preto, quinto lugares no Clube Sírio Libanês e Clube Tamoio de São Gonçalo e Menção Honrosa no Clube Federal Rio.

Em 1990 Beto Sol era o carnavalesco da Unidos de Cabuçú, o artista leva para a avenida um enredo crítico intitulado “Será que votei certo para Presidente?”. Ainda na escola, Joao Pasqua cria a fantasia “O Mensageiro da Liberdade”. A criação fatura o primeiro lugar em Ribeirão Preto. No ano seguinte o foco foi exclusivamente nos concursos no eixo Rio x São Paulo. Sem participar de desfiles, Pasqua confecciona a fantasia “Dom Quixote – O Sonho Impossível”, criação que leva o primeiro lugar em Ribeirão e consequentemente o titulo de “Hours Concurs”. Ainda fatura o quarto lugar (com direito a protesto do publico) no Clube Tamoio de São Gonçalo e terceiro lugar no aclamado Clube Monte Líbano, no Rio.

Focado em concursos, no ano de 1992, a fantasia “A Civilização Milenar e seu Dragão” desfila com o titulo “Hours Concurs” recebido no ano anterior em Ribeirão Preto. A confecção fatura o quinto  lugar no Clube em Niterói. Em 1993, “O Poderoso Mago Merlin
leva o primeiro lugar em São Carlos e segunda colocação em Jundiaí. Com esta fantasia, o Destaque volta a desfilar em Escolas de Samba, desta vez na E.S. Rosas de Ouro no enredo “É hoje… um dia de festa” do carnavalesco Tito Arantes do Nascimento, e no Rio desfila na Estação Primeira de Mangueira com o enredo “Desta fruta eu como até o caroço” de Ilvamar Magalhães. Na verde e rosa o figurino passou a chamar “A Espada era a Lei” e veio na alegoria sobre a idade média.

A fantasia “Os Filhos do Sol”  levou os primeiros lugares em São Carlos e Jundiaí , além de passar como “Hours Concurs” no concurso de 1994 em Ribeirão Preto. No ano de 1995 foi confeccionada a fantasia “O Fugaz Amante das Flores”,  bicampeã em São Carlos, primeiro lugar em Jundiaí  e segundo lugar em Piracicaba. A fantasia deveria ter passado no desfile da Vai Vai, não sendo possível por erros técnicos de barracão. O queijo era menor do que a bela fantasia. Em 1996 a fantasia “O Anjo Negro, Segundo o Apocalipse” foi segundo lugar em Batatais e campeã nas cidades de São Carlos, Jundiaí SP e Poços de Caldas MG. Desta vez consegue desfilar como destaque no abre alas Vai Vai que vem a ser a campeã daquele ano com “A Rainha, a Noite tudo transformade Frank Gal.

Em 1997 com a fantasia “O fantasma da Ópera” faturou três primeiros lugares, em São Carlos, Poços de Caldas e Jundiaí . A fantasia foi adaptada para o enredo “Liberdade Antes que Vai Vai” de Chico Spinosa. Houve mudança na roupa para o barroco, simbolizando a religião. A fantasia de 1998 “Viagem ao terceiro Milênio” se classificou em segundo lugar em Poços de Caldas MG e foi campeã em Jundiaí SP. Para o enredo “Banzai! Vai Vai” de Chico Spinosa, foi adaptada com o tema “Samurai” no carro abre alas.

Em 1999 a fantasia “Nostradamus” tinha o mesmo nome do enredo de Chico Spinosa para a Vai Vai campeã do ano. A bela confecção levou os primeiros lugares em Poços de Caldas MG e também em Jundiaí SP.

Nostradamus de 1999

No ano 2000 a fantasia “Os Louros da Gloria” foi feita para a Vai Vai que comemorava 70 anos e também os 500 anos do Brasil com o  enredo “Vai Vai Brasil”. No ano seguinte,
Majestade o Sol” foi criada para o enredo “O Caminho da Luz” de Ilvamar Magalhães na Vai Vai. Além de vir no abre alas, Joao Pasqua foi convidado para viajar a Moscou na Rússia e participar do Festival de Verão Russo em 2001. Neste ano, Pasqua decide não mais participar de concursos de fantasias.

Apenas participando de Desfiles de Escola de Samba, em 2002 João Pasqua criou a fantasia “O Infinito Negro” para o enredo da Vai Vai, “Guardado a 7 Chaves” de Ilvamar Magalhães que também assinou Entre Marchas, Galopes e Cavalgadas em 2003. Desta vez Pasqua se veste de “Gengis Khan” no Abre Alas da escola da Bela Vista. Em seguida, o carnavalesco Lane Santana chega a Vai Vai e cria para 2004 o enredoQuer conhecer São Paulo? Vem pro Bixiga pra Ver, com a proposta de comemorar 450 anos de São Paulo. João, soberano no Abre Alas, desfilou com a fantasiaFundadores da Saracura”.

Em 2005 o enredo da Vai Vai foi do carnavalesco Raul Diniz, “Eu também Sou Imortal
e vestindo a fantasia “Natureza Viva” mais uma vez o artista veio como destaque no Abre Alas. No seguinte, Diniz assina o enredo “São Vicente a Primeira Capital do Brasil”, desta vez a fantasia foi “Dragão dos Mares”. Com a volta de Chico Spinosa em 2007, a escola do bairro do Bixiga trouxe o enredo “O Quarto Reino, O Reino do Absurdo”, João Pasqua teve autonomia para criar a fantasia “Diamante em Verde Água”, que teve a confecção sob orientação do carnavalesco.

Chico Spinosa, que é Treta Campeão pela Vai Vai, ainda faria os carnavais de 2008 e 2009 na escola. Em 2008 o enredo “Vai-Vai acorda Brasil, a saída é ter esperança” se tornou campeão e no abre alas, Joao estava vestido de “Apolo”. Seu ultimo trabalho com o carnalesco seria no ano seguinte onde vestiu a fantasia “Garuda” para o enredo “Mens Sana et Corpore Sano – O Milênio da Superação”. A parceria de tantas glorias ao lado de chico virou amizade. Sempre que pode, o carnavalesco cita que Joao Pasqua foi um dos seus primeiros destaques de luxo em sua trajetória no sambódromo do Anhembi.

É sempre um prazer falar em Páscoa. Um homem talentosíssimo, de muita qualidade cultural e que repõe tudo isso em sua fantasia. Ele faz as suas fantasias baseadas na cultura e é genial isso. Eu tive grandes momentos com o João Páscoa. Sou apaixonado por dois grandes trabalho que ele fez pra mim, tanto no ano do Banzai onde vestiu um Shogum maravilhoso, quanto em Nostradamos, que ele me fez o profeta. É genial o trabalho dele, sempre com muito equilíbrio de cor, cultura, proporção. Senti muita falta do Páscoa em meus trabalhos. É um grande destaque de São Paulo“, explicou Chico Spinosa.

Chico Spinosa foi o carnavalesco que mais criou fantasias para João Pasqua

Ainda em 2009, Joao Pasqua fez “dobradinha” e também desfilou no Abre Alas da  E.S. Águia de Ouro com a fantasia “Oxossi” no Enredo em Homenagem sua cidade natal,  Ribeirão Preto.

Águia de Ouro 2009

Com a saída de Spinosa da Vai Vai, em 2010, João decide se desvincular da escola e retorna a Sociedade Rosas de Ouro após 17 anos de afastamento. O carnavalesco era o renomado Jorge Freitas que faturou o titulo daquele ano com o enredo“O Cacau é Show”. No Abre Alas da escola, mais uma fantástica fantasia de Pasqua, que brilhou vestido de“Montezuna”. No mesmo ano, passou com a fantasia“Ball Masqué em Veneza” pela E.S. Vila Maria. A fantasia era uma adaptação do “Oxossi” usado no ano anterior na Águia de Ouro.

No carnaval de 2011 na Rosas de Ouro com o enredo “Abre-te Sésamo, a Senha da Sorte”, Jorge Freitas desenhou a fantasia “Sol e Lua – o Eclipse” para João Pasqua ser o destaque da segunda parte do Abre Alas. No ano seguinte se desliga da Rosas de Ouro e inicia uma nova parceria que se tornaria duradoura. Pasqua passa a ser um dos Destaques de Luxo preferido do Carnavalesco Andre Machado.

Destaque Rosas de Ouro – 2011

Em 2012 André Machado assinava o carnaval da E.S.Pérola Negra e convidou o Destaque Pasqua para desfilar no enredo em homenagem a cidade litorânea de Itanhaém. Pasqua desfilou com a roupa batizada de “Glórias Barroca”.

O ano seguinte ficaria marcado como uma verdadeira maratona, em 2013 João Pasqua além de desfilar com Andre Machado, na ocasião assinando o enredo da Pérola Negra, também desfilou na Tucuruvi além de retornar a Rosas de Ouro.

 

André Machado assinou o enredo “Pérola Negra, a Suprema Felicidade” para o carnaval de 2014 da Pérola Negra. A proposta do figurino “ Zeus o Deus Supremo do Olimpo” previa um trono compondo o fantasia. No mesmo ano desfiou no abre alas da Tucuruvi no enredo “Uma Fantástica viagem Pela Imaginação Infantil” de Wagner Santos com a fantasia “O Mago Era Uma Vez…“

Assim como Chico Spinosa, o carnavalesco André Machado viria a tornar um parceiro de trabalhos por anos. Até hoje são nove carnavais consecutivos juntos.

Acompanhando seu amigo carnavalesco André Machado, juntos foram para a E.S. X-9
Paulistana, onde Andre assinou o enredo “Sambando na Chuva, num Pé D’água ou na Garoa, Sou X-9 Numa Boa!”para o carnaval de 2015. Neste desfile, o carnavalesco ousou e colocou o Destaque João Pasqua para integrar a Comissão de Frente da escola no alto de um elemento alegórico. O feito inédito marcaria como mais um dos bons momentos do sambódromo do Anhembi. A fantasia se chamava “Senhor da Chuva”.

Ainda na X-9 Paulistana, o enredo era “Açaí Guardiã! Do Amor de Iaçá ao Esplendor de Belém do Pará”. O carnavalesco André criou a fantasia “O Grande Cacique” para João Pasqua desfilar no alto de um tripé que trazia o abre alas. Infelizmente 2016 foi um ano traumático para a X9. Um erro na armação da escola fez com que a enorme fantasia não conseguisse estar no seu local de desfile. Um ano para esquecer, Pasqua teve que retornar para casa sem ter pisado na avenida.  A escola entrou com muitos problemas que contribuíram com seu rebaixamento para o grupo de acesso naquele ano.

2016 – FANTASIA QUE NÃO ENTROU NA AVENIDA

O destino leva André Machado a Sociedade Rosas de Ouro em 2017. Com ele, João Pasqua retorna a Roseira. E foi uma volta com novidades para o enredo “Convivium – Sente-se a mesa e Saboreie”. André voltaria colocar João Pasqua em uma comissão de Frente e desta vez teve interação e coreografia. A bela fantasia “Osíris o Deus Supremo do Egito” era magnifica.

André ainda colocaria Pasqua nos abre alas de “Pelas Estradas da Vida, Sonhos e aventuras de um Herói” (2018), “Viva Hayastan” homenageando a Nação Armênia (2019), “Tempos Modernos” (2020) onde vestiu o figurino “Coração de Aço”.

ROSAS 2019

Todas as fantasias são confeccionadas por João Pasqua, o processo se dá a partir da liberação do figurino ou mesmo através de um “briefing” com o carnavalesco para que o mesmo possa criar ou desenhar.

ROSAS 2018

“Em meu pequeno ateliê, começo pelas partes que serão vestidas como túnica, gola, ombreiras, ancas, chapéu e calcados, para depois ir para o costeiro ou esplendor, se temos esculturas providencio junto ao escultor. No final faço a montagem das plumas e penas e a confecção. Preparo as sacolas e embalagens para o transporte. Todo esse processo é feito para as minhas fantasias e de alguns clientes, procuro não atender muitos para manter uma qualidade impar na confecção, não tenho equipe para adereçar, pois, faço questão que tudo seja feito pelas minhas mãos e de meu companheiro Aldo de Castro”.

João Pasqua e seu companheiro de vida Aldo de Castro

João Pasqua  foi premiado pela ADESP (Associação dos Destaques das Escolas de Samba do Estado de São Paulo) na Assembleia Legislativa de SP por seus serviços prestados a cultura nacional.

Acredito que todos os destaques passaram por algum perrengue na avenida. Comigo
aconteceu em 1995 na Vai Vai. O queijo era muito pequeno em não coube a fantasia,
para desfilar só com a roupa optei por não desfilar. Em 2004, também na Vai Vai, comprei
outro apartamento e em cima da hora, a compradora para a qual vendi o outro, queria 
mudar no sábado para aproveitar os dias de folga do carnaval. Portanto tive que
desocupar no sábado do desfile durante o dia e fui desfilar a noite, imagine a loucura.
Tive que vestir a roupa na avenida e na hora vejo que esqueci os punhos, que eram peças avulsas, mais as luvas. Não teve jeito, desfilei com a ausência das peças! Outro fato foi o desfile em 2016 na X-9 eu já estava pronto com a roupa montada em um dos três tripés que traziam o abre alas, na boca da avenida não conseguiram empurrar os tripés, em seguida retiraram as peças para a escola entrar, a roupa foi desmontada e voltei para o hotel. A escola foi um desastre, caiu para o acesso“.

Rosas de Ouro – 2019

Os destaques infelizmente são muito pouco valorizados no carnaval, algumas vezes
pelas próprias escolas. Eu sempre tive sorte em ser bem tratado por elas e pelos
carnavalescos. A relação destaque carnavalesco tem que ser muito boa, pois, são eles
que nos orienta e conduz na confecção de nossas fantasias. Sempre tive uma boa relação com eles. Tenho o amigo e carnavalesco André Machado um dos que mais respeita e cuida bem dos destaques. É uma relação de respeito mutuo. Espero que um dia todos sejam muito respeitados e assim sendo, tenham o merecido reconhecimento

“As fantasias hoje não são mais expostas como antes. Antigamente elas eram
apresentadas muitas vezes, havia os concursos, desfiles e viagens que as expunha para
apreciação e admiração desta arte. Hoje estão limitadas ao no máximo trinta minutos
nos desfiles das escolas de samba. Não tenho o hábito de guardar minhas fantasias por falta de espaços. Desfaço de minhas roupas, normalmente para o interior para serem reutilizadas nos próximos carnavais, ou mesmo para desfiles em eventos. Portanto, ficam gravadas na memória e registradas e fotos e vídeos”.

Rosas de Ouro – 2020

São quarenta anos de avenida. Uma marca bastante relevante para um segmento que ano ano vem perdendo adeptos e valorização por parte das escolas e eventos. Por tudo isso, João Pasqua é uma referencia na arte dos grandes Destaques de Luxo do Carnaval Brasileiro.

“Apesar de todas as dificuldades em ser destaques como: O fazer a fantasia onde é necessário um grande gasto em tudo que envolve a confecção, o chegar à avenida, montar e subir na alegoria, tudo é muito difícil mas vale todo o sacrifício, desde que goste muito de carnaval, e acima de tudo muito amor e vontade de realizar o grande sonho.
Enfim, apesar de tudo, sempre vale realiza-los, se não fosse desta forma eu não estaria
por quarenta anos no carnaval”.

 

10 COMENTÁRIOS

  1. Que história de carnaval linda meu querido João Pasqua!
    Espero que DEUS e JESUS TE ABENÇOE COM MUITA SAÚDE, PAZ E SABEDORIA.
    Pra vc ter grandes criações e confecções.
    Eu sempre falo “SER DESTAQUE É SER DESTACADO DE TODOS” , e isso, vc faz muito bem. Parabéns querido.
    Muitas felicidades na.sua vida e no Carnaval.
    Beijos Sandra Farias

  2. Parabéns João Pasqua , 50 anos de carnaval não é para qualquer um. Admiração pelo seu talento e bom gosto. Orgulho de ter um amigo como vc. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻❤️❤️❤️❤️

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui