Contadora, bancária por muitos anos, apaixonada por livros, decoração, moda e tendências de tudo que for belo. Esta é Janete Lopes Aére. Natural de São Paulo, viveu na cidade de Campos do Jordão, município localizado no interior do estado de São Paulo, até os 16 anos. Afastada do carnaval, hoje vive no litoral de São Paulo, em um paraíso chamado Riviera de São Lourenço, Bertioga.

Filha de José Lopes e Odete Ribeiro Lopes, uma mulher que amava o samba, o carnaval e apaixonada por Martinho da Vila, Dona Odete dizia aos seus filhos que seu último desejo seria que o poeta de Vila Isabel cantasse em seu velório. Janete cresceu em meio a festas de família com muitas rodas de samba e muitos discos de vinil e vitrola, lógico que na maioria do ídolo da Mãe – Martinho da Vila. A matriarca da família Lopes foi quem ensinou a jovem Janete e seus três irmãos (José, Jorge e Jairo), a gostarem do ritmo mais famoso do Brasil, O SAMBA.

Quando Janete tinha doze anos de idade, ainda em Campos do Jordão, Dona Odete que costumava levar os filhos aos bailes de matinês no tradicional Clube Abernéssia, resolveu desta vez levar seus filhos ao baile noturno. Para esconder a pequena Janete, menor de idade, a matriarca teve a ideia de improvisar a fantasia com um capuz e máscara, escondendo assim a idade da filha. A partir daí foi paixão para toda a vida, passando a desfilar nos blocos de rua junto com a família.

Na adolescência tínhamos um bloco que era da Malharia Italiana da família do meu amigo Maurizio Zoffoli, que seus pais Sr. Giovanni e Dona Ana faziam todos os anos com muito carinho. Ganhamos muitos troféus de primeiro lugar. Era uma alegria contagiante e inesquecível. A partir daí, eu sabia que tinha despertado em mim um sentimento único chamado AMOR AO CARNAVAL E AO SAMBA.“, relembra.

Janete (agachada de branco) com a família em 1973

Pouco depois de conhecer o mundo do samba, a família se mudou para Pindamonhangaba, cidade da região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte no estado de São Paulo. Nos quatro anos em que viveu na cidade conhecida como a Princesa do Norte, Janete concorreu e foi aclamada Miss em 1975, representando a cidade no Miss São Paulo. Manteve a faixa por três anos, quando em em 1977 se despediu do concurso como a Miss Simpatia.

No ano de 1976, a amiga Hebe de Mare convidou Janete Aere para passar o Carnaval em São Paulo, no Acre Clube, no Jardim França na zona norte. Neste local aconteceu algo que mudaria para sempre a vida da bancária tanto no campo pessoal quanto na relação com o carnaval. Ali ela conheceu Wagner Aére (o Vavá), um apaixonado pelo carnaval. Foi mágica do Destino, pois em um ano e meio estavam casados e assim permanecem até os dias de hoje. Wagner se tornaria o principal incentivador de Janete no final da década seguinte, já como uma das mais importantes Destaques de Luxo do carnaval Paulistano.

Primeiros anos de Tucuruvi

Morando em São Paulo, Janete e Wagner tiveram juntos, três filhas (Luciana, Juliana e Luana). O casal fazia parte de um bloco no salão do Acre Clube que competia com mais dois blocos nos intervalos dos bailes de carnaval. Esse bloco acabou virando uma das alas da escola de samba Acadêmicos do Tucuruvi. Todos os anos a fantasia da ala era desenhada pela escola, para o desfile, ainda na Avenida Tiradentes. A paixão pela escola surgiu desde a primeira vez em que ouviu o hino da escola.

Em 1989 o lendário presidente do Acadêmicos do Tucuruvi, Hussein Abdo ElSelamSr Jamil” convidou Janete Aere para desfilar de Destaque pela primeira vez. Com receio, a bancaria aceitou o convite. A partir desta decisão, ela nem imagina que em alguns anos estaria reinando absoluta por anos, no Abre Alas da escola.

Em 1989, ainda na Avenida Tiradentes em São Paulo, para subir no carro alegórico, usava-se escadas de madeira. Até ai… tudo bem. Na hora da descida.. cadê a escada? Ninguém encontrava. Meu marido e  meu cunhado disseram que a mão deles alcançava meu tornozelo. Combinaram de contar até três, me jogar para trás e me pegar em seguida. E assim foi. Um, dois, três… e me joguei. O problema é que ninguém me segurou coisa nenhuma.(risos). A minha sorte é que eu estava em uma altura baixa com um plumeiro que amorteceu a queda“.

Tucuruvi

“Meus olhos começaram a olhar com carinho e emoção a tudo e todos os destaques que eu pudesse assistir na TV, ou ver fotos na revista, ou mesmo vê-los desfilando na avenida. Os anos passaram e meu amor pelo belo foi crescendo, como cresce nos sonhos de menina em contos de fadas”

Em 1992, Janete, Wagner e filhas se mudam para cidade de Buenos Aires, na Argentina, onde a família viveu uma experiência única e maravilhosa. Ficaram na terra do tango até 1995, voltando para São Paulo e se rendendo de vez a folia momesca. Os primeiros figurinos foram feitos pelo carnavalesco Marco Aurélio Ruffin, que realizava diversas reuniões para ajustar todas as ideias da fantasia e, a partir daí Janete, o marido Vavá, e a equipe do estilista Fernando Magalhães tratavam de tirar a ideia do desenho.

Todos os passos eram respeitados através de um cronograma: compra de materiais, costureiras, confecção da ferragem e roupa, bordados, plumagem. Ao mesmo tempo íamos às lojas, muitas e muitas vezes fazer compras e buscar novidades, e receber as encomendas. Tudo eu acompanhava com o maior prazer, por isso digo, que cada fantasia é como uma gestação – nasce um filho por ano”.

A relação de Janete Aere com Fernando Magalhães rompe a barreira entre atelier e cliente. Os dois, que foram responsáveis por várias fantasias lendárias, possuem relação de amizade ate os dias de hoje.

O presidente Sr. Jamil do Acadêmicos do Tucuruvi, me apresentou o Fernando Magalhães em 2004, onde o ateliê ainda era em São Paulo. Tive a felicidade de trabalhar com Fernando Magalhães e sua equipe por muitos anos. Uma obra prima a cada ano. A você Fernando Magalhães, minha eterna gratidão por tantas obras primas exclusivas e com a minha cara

No ano de Janete recebeu o convite de Chico Spinosa para fazer sua estreia no Rio. O carnavalesco que assinava o enredo sobre o estado do Espírito Santo criou o figurino “Chama ardente aquece o mangue – Espírito Santo” para Janete Aere brilhar na Marques de Sapucaí.

Janete se desliga da Acadêmicos do Tucuruvi e se dirige a X9 Paulistana. O carnavalesco Raul Diniz assinou os figurinos de 2007 e 2008 para Janete Lopes desfilar na tricolor do Bairro Jardim São Paulo.

Em 2009 a X9 Paulistana veio com o enredo “Amazônia… conseguimos conquistar com o braço forte… do esplendor da Havea Brasiliensis à busca pela terra sem males” do Carnavalesco Paulo Führo, que criou a bela Fantasia “Estrela de Virgo – No caminho da esperança” para Janete Lopes.

Neste ano (2009), tinha uma fantasia linda e ia desfilar no último carro, na mão de uma índia. Tudo pronto para subir na gaiola com meus apoios e com os bombeiros. Ao chegar em 12 metros de altura, vimos que não podíamos nos aproximar muito da mão da índia, correndo o risco de quebrar a escultura, fazendo com que a escola perdesse pontos. O bombeiro disse: Você terá que confiar em mim. Tirei o sapato que era com um salto altíssimo, tive que levantar uma saia super justa ate o joelho e ele disse: Vamos contar ( parece que eu já tinha ouvido isso) um, dois, três… e pula que eu te seguro. Dessa vez deu tudo certo, e estou aqui para contar esses fatos curiosos da vida de um destaque“, se diverte Janete ao relembrar.

“Sempre tive um bom relacionamento com os carnavalescos. Confesso que sempre fui muito organizada, trazendo confiança para a relação. A relação destaque, carnavalesco, escola tem que ser de muita confiança, porque enquanto a fantasia esta sendo confeccionado, ninguém tem acesso a ela. Somente quando ela esta pronta, que todos podem ver o resultado final. Na X9 Paulistana não foi diferente. Com Raul Diniz e até os últimos trabalhos com o Flávio Campello, foram relações de amizade e respeito. Sempre cordiais e tive a felicidade de surpreendê-los com as maravilhas criadas para mim”

As roupas de Janete sempre fazem parte das exposições do Jornalista Mauricio Coutinho, entre elas a inauguração do Hotel Holiday Inn no Parque Anhembi, São Paulo.

Dentre as dezenas e dezenas de exposições de Carnaval que produzi, teve uma em especial, que eu produzi especialmente para ela, encantando o público no Shopping Light com as fantasias exclusivas”, nos contou Mauricio Coutinho.

“Ao receber o desenho de cada ano, minha cabeça era invadida por um grande sonho a ser realizado. A partir dali, todos os dias e todas as noites, acordada ou dormindo minha mente só era essa fantasia pronta, e eu dentro dela no grande dia do desfile. Esses dias, e esses meses, são os mais preciosos momentos na vida de um destaque. É a construção de sua historia, que ficará para sempre, não só na sua memoria, mas também escrito como estou fazendo aqui, agora. E tudo o que você sonhou se torna a mais pura realidade no dia do desfile. É maravilhoso, é único, é muito emocionante, é para sempre”.

2012 foi o  ano em que a Dama da Avenida se despediu dos Desfiles. Por motivos pessoais, Janete decidiu não desfilar mais como Destaque. Dois anos depois assumiu o cargo de coordenadora dos Destaques da X9 Paulistana, onde ficou por um ano e desde então prefere aplaudir seus amigos assistindo os desfiles. Ela sabe que uma alegoria sem um grande Destaque nunca estará completa. Portanto o mundo do samba torce para que um dia a Diva Janete Lopes Aere volte ao seu lugar com mais uma bela fantasia.

2012 – X9 Paulistana – Fantasia O sol do sertão – “A X9 desbrava os sertões dessa gente veranil.” – Carnavalesco: Flavio Campello

Trabalho de um destaque não é fácil, mas eu acredito que se trata de um exercício de amor. Amor pela arte, que se materializa a cada ano, através do esforço e dedicação de cada um. Minha eterna gratidão aos meus apoios Edivaldo Ferreira e Robson. Sempre tive o compromisso de dar o meu melhor com a intenção de chegar ao publico que nos assiste; o mais belo, para que possam nem que seja por alguns segundos, sonhar, juntamente conosco”.

O que ainda lamento é que temos tanto trabalho para aparecer tão pouco tempo na avenida. Trabalhos divinos, únicos, luxuosos, de grande investimento. Muitas vezes a vida útil de uma fantasia é de apenas 1 a 3 meses. Pós-carnaval, não temos hoje eventos, onde os destaques possam apresentar essas obras maravilhosas. Sinto falta dos grandes concursos de fantasias“.

Coordenadora de Destaques em 2014

Sempre acreditei, e continuo acreditando, que a comunicação do Destaque não só com o carnavalesco, mas também com toda a diretoria da escola se faz necessária, para que haja um maior reconhecimento e valorização dos trabalhos e empenho do destaque para com a escola. É muito triste quando vemos no dia do desfile, destaques que desaparecem atrás de esculturas, ou mesmo, quando colocam pessoas na sai frente tampando todo esforço de um ano inteiro. Por isso é muito importante à comunicação destaque x escola x barracão”.

Janete Lopes e Wagner (Vavá) seu maior incentivador e parceiro de mais de 40 anos

Fico muito feliz por ser um grupo unido de pessoas apaixonadas pelo carnaval que fazem um grande investimento, muitas vezes deixando de realizar outros sonhos; tudo em prol da realização da fantasia. Mesmo assim, temos o orgulho de ter seres humanos lindos, com muito interesse em dar continuidade na historia que não começou por mim, mas sim, por alguém apaixonado por arte, que resolveu representar um personagem, e subir em um carro alegórico pela primeira vez, Graças a Deus. Enquanto conseguirmos transmitir a emoção que estamos sentindo no momento do desfile, destaques acontecerão, hoje, amanha e sempre”.

Entre amigos da X9

“Para você que sonha em ser um destaque, se aproxime de um. Venha conversar, conhecer a sua história, ou sua experiência. Tenho certeza que vai se encantar. Ali você pode ganhar um lindo padrinho. Sinta a emoção de participar da vida e dos ensaios de uma escola de samba. A nova geração desejo amizade, respeito, humildade e união. Somente assim sentirão o aconchego e segurança necessários para seguir em frente, e cada vez mais brilhará para que possam fazer que o maior espetáculo da terra jamais desapareça”

Ao Acadêmicos do Tucuruvi, deixo o meu carinho e meu amor, por tantos anos vividos naquela quadra, juntamente com amigos e momentos inesquecíveis. A X9 Paulistana minha eterna gratidão por terem me recebido com braços abertos, onde fiz muitos amigos que vivem até hoje em meu coração. Onde também vivi momentos que ficarão para sempre. A nossa querida ADESP, por todo reconhecimento e valorização de todos os destaques de São Paulo, na pessoa da nossa presidente Izaura Panfili, meu carinho”

“Clóvis Bornay no Hotel Glória e Evandro Castro de Lima, sempre foram e serão referencia para todos nós. Tenho meus mestres queridos Almir Alberto, Pina, Gigi. São e sempre serão minha inspiração. Enquanto eu viver, estarei aplaudindo cada destaque que passar na avenida, com amor, respeito e gratidão”.

Para encerrar quero deixar meu amor e gratidão a minha família, que sempre esteve ao meu lado em todos os momentos, principalmente nas minhas maiores loucuras por essa paixão chamada “CARNAVAL”. Amo vocês Wagner, Luciana, Juliana, Luana, Marcos Feldmann, Bruno e Valentina

Janete Aère com o esposo Vavá, Filhas, Netos e Genro

3 COMENTÁRIOS

    • Obrigada pela sua amizade querido.
      Vc hj está escrevendo uma nova história na trajetórias de todos os destaques. Nossa eterna gratidão Alex Araújo🙏🏼🙏🏼🙏🏼💖💖💖

  1. PARABÉNS JANETE PELA SUA BELÍSSIMA TRAJETÓRIA!!! É SEMPRE MUITO BOM CONHECER A HISTÓRIA DE PESSOAS APAIXONADAS PELA FANTASIA DO CARNAVAL!!! 👏👏👏👏👏👏

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui