JURADOS LIESA RJ – Monica Barbosa

0
294

Mônica Barbosa – Julgadora do Quesito Mestre Sala & Porta Bandeira.

Carioca, bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, professora de dança contemporânea é uma renomada profissional de dança. Considerada muito educada e gentil.

Estreou como julgadora da LIESA em 2015. Apenas em 2018 suas notas não foram contabilizadas. Nesses 4 carnavais, julgou 50 desfiles, apontando notas máximas 27 vezes. Sendo os casais da Mangueira e Vila Isabel merecedores de suas 4 notas 10 (2015, 16, 17 e 19).

Os casais do Império Serrano, Paraíso do Tuiuti e Estácio de Sá nunca receberam notas 10 de Mônica, que não gosta de apresentações voltadas para o Módulo de jurados, quando os casais ficam de frente à cabine e de lado para a pista de desfile.

Em 2019, Mônica reprovou a plataforma de 4 metros do Império Serrano, chamou o casal da Grande Rio de imaturo, da São Clemente “sem valor, pois não dançou conforme a música” e do Tuiuti “a fantasia não brilhou”.

Logo no seu primeiro ano, a bailarina do Municipal tirou pontos do casal da Unidos da Tijuca por não achar bonita a fantasia e do casal da Viradouro por não dançar bem na chuva.

Em 2016, julgou o casal portelense Alex Marcelino e Danielle Nascimento, “deselegante”; da São Clemente “fraco”; Mocidade “incompleto”, Estácio de Sá “imaturos” e União da Ilha “desatentos e maquiagem pesada”.

É de Mônica as justificativas: “fantasia sem luxo” para o casal Claudinho & Selminha Sorriso na Beija-Flor de 2017; no mesmo ano apontou, “casal muito próximo” para Tuiuti; “dança desequilibrada” para União da Ilha e “casal sem qualidade e inseguro” para a Imperatriz.

De todas as escolas que foram avaliadas por Mônica nos seus 4 anos como julgadora, as que menos pontos ganharam foram: São Clemente (10/ 9,9 / 9,9 / 9,8), Grande Rio (9,8 / 10 / 9,9 / 9,9) e Imperatriz (9,9 / 10 / 9,9 / 9,9). A escola de botafogo já perdeu pontos pois “uma pluma se soltou durante a dança”. A agremiação de Duque de Caxias foi penalizada por “não olhar olho no olho”. E a escola de Ramos perdeu pontos “por não ter qualidade”.

Redação: Thiago Cânepa Amorim.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui