CAHE RODRIGUES

0
396

Sua estreia como carnavalesco no grupo especial do carnaval carioca aconteceu no ano de 2002 pela Unidos do Porto da Pedra, escola com a qual tinha vencido o grupo de acesso no carnaval anterior e, portanto, sendo promovida a desfilar no grupo das grandes escolas de samba.

Cahê Rodrigues é carioca de nascimento e com vistas ao próximo carnaval carioca de 2021 está anunciado oficialmente para compor o elenco de artistas que executarão o desfile da União da Ilha do Governador, escola que desfilará no grupo de acesso, visto o insucesso de seu último desfile.

Cahê Rodrigues – Carnaval de 2019

Sua trajetória no meio do carnaval iniciou como assistente de grandes carnavalescos como Joãosinho Trinta na Beija Flor e Lucas Pinto em seus trabalhos na Acadêmicos do Grande Rio.

No emblemático e inesquecível “Ratos e Urubus, Larguem Minha Fantasia” de 1989, Cahê ocupava o posto de assistente do gênio Joãosinho Trinta.

Sua grande chance de lançar-se como carnavalesco, porém só veio no carnaval de 1998, já nesse início assinando o carnaval de duas agremiações. Pela Acadêmicos do Sossego, então no grupo C conjuntamente com o carnavalesco Max Lopes apresentaram o enredo “Em busca do destino” e terminaram com o terceiro lugar. Pela Acadêmicos de Vigário Geral, no grupo B, executou o enredo “Conto Dourado de um Povo Sonhador” desfile este onde a escola acabou com a décima colocação.

No carnaval de 1999 Cahê permaneceu na Vigário Geral, apresentando o enredo “Vigário, um Sonho de Liberdade”, mas sem muito sucesso, já que neste ano agremiação ficou penas com a décima primeira colocação.

GRES Acadêmicos de Vigário Geral
GRES Acadêmicos de Vigário Geral

No carnaval de 2000 não teve trabalho solo seu atravessando a pista da Marquês de Sapucaí.

No ano de 2001 Cahê foi contratado pela Unidos do Porto da Pedra, escola sediada em São Gonçalo, tendo obtido a primeira colocação com o enredo “Um sonho possível: crescer e viver agora é lei” então pelo grupo de acesso A, campeonato este que então promoveu a escola para desfilar no grupo de elite do carnaval carioca no ano seguinte.

Como já foi referido no início, 2002 foi o ano de Cahê apresentar no grupo especial das escolas de samba do Rio de janeiro, um carnaval de sua autoria, pela Unidos do Porto da Pedra, onde o enredo “Serra acima, rumo à Terra dos Coroados” deu à escola o décimo primeiro lugar.

Unidos do Porto da Pedra 2002

A partir de 2002 Cahê Rodrigues então passou a frequentar o desfile do grupo especial do Rio, até 2004, tendo passado pela Acadêmicos de Santa Cruz e depois pela Caprichosos de Pilares.

Na Santa Cruz apresentou enredo sobre o teatro com o tema “Do Universo Teatral à Ribalta do Carnaval” e pela agremiação de Pilares apesentou o enredo “Xuxa e seu reino Encantado no Carnaval da Imaginação”, ficando com este enredo na décima primeira colocação.

Caprichosos de Pilares – Carnaval RJ 2004

No carnaval de 2005 Cahê ficou fora da Sapucaí, aproveitando então este tempo para viajar para Londres, onde desenvolveu o carnaval apresentado pela Quilombo do Samba.

No carnaval de 2006 Cahê retornou à elite das escolas cariocas de novo com a Unidos do Porto da Pedra onde o desfile com o enredo “Bendita És Tu Entre as Mulheres do Brasil”, deu a agremiação o 12º lugar.

Os anos de 2007 e 2008 assinalam a passada de Cahê Rodrigues como carnavalesco da Portela, sendo que nestes dois anos também atuou na Acadêmicos do Sossego, então no grupo D, tendo ido campeã neste último ano.

Em sua passagem pela Portela, Cahê apresentou os enredos “Os Deuses do Olimpo na terra do carnaval: uma festa dos esportes, da saúde e da beleza”, enredo este feito em conjunto com Amarildo de Mello e “Reconstruindo a Natureza, Recriando a Vida: O Sonho Vira Realidade”, enredo com o qual levou a Portela ao quarto lugar, colocação esta que a escola não alcançava desde o carnaval de 1998.

Portela 2008

No carnaval de 2009 Cahê estreou na Acadêmicos do Grande Rio, onde permaneceu até a folia de 2012 na escola de Duque de Caxias, onde a melhor colocação foi o vice-campeonato de 2010, colocação inédita para a agremiação de Caxias no grupo especial do carnaval do Rio. Esse vice-campeonato da Grande Rio se deu com o enredo “Das arquibancadas ao camarote número 1, uma Grande Rio de emoção na Apoteose do seu Coração”.

Acadêmicos do Grande Rio 2010

No carnaval de 2011 a Grande Rio não foi julgada, assim como aconteceu com outras escolas, já que um incêndio que atingiu o barracão da escola destruiu boa parte daquilo que estava sendo finalizado para o desfile sobre Santa Catarina.

Acadêmicos do Grande Rio 2011

 

“É assustador. Acordei vendo na TV: primeiro Ilha, depois Portela, depois Grande Rio. Fui acompanhando a destruição de um projeto de um ano de trabalho.”

(Cahê Rodrigues – O Estado de São Paulo, 08/02/2011)

 

 

Saindo da Grande Rio, Cahê assumiu o carnaval da Imperatriz Leopoldinense em 2013, permanecendo na agremiação sediada no bairro de Ramos até o desfile de 2018.

Cahê Rodrigues veio para a Imperatriz para substituir o carnavalesco Max Lopes, o “Mago das Cores”, que estava na escola desde o carnaval de 2010.

No comando do carnaval da Imperatriz como melhor colocação destaca-se o carnaval de 2013, onde a escola alcançou o quarto lugar com o enredo “Pará – O Muiraquitã do Brasil. Sob a nudez forte da verdade, o manto diáfano da fantasia”, colocação que a escola não tinha desde o ano de 2005.

Imperatriz Leopoldinense 2013

Ainda no carnaval de 2013 Cahê teve a oportunidade de participar do desfile da escola paulista Vai-Vai que com o enredo “Sangue da terra, videira da vida: Um brinde de amor em plena avenida – vinhos do Brasil”, levou a escola a um sétimo lugar desfilando no Anhembi.

Vai-Vai SP 2013

Sob a batuta de Cahê a Imperatriz apresentou desfiles biográficos que encheram a Sapucaí de muita cor e emoção, como foi o caso do desfile em homenagem ao eterno craque da seleção brasileira Zico, no carnaval de 2014 e a dupla Zezé de Camargo e Luciano nos desfiles de 2016.

No pré-carnaval de 2017, grandes foram as polêmicas em função do enredo “Xingu, o clamor que vem da floresta!”, situações ligadas à crítica contra o agronegócio e a destruição ambiental trazida pela hidroelétrica de Belo Monte. Nesse carnaval a Imperatriz ficou com a sétima colocação.

Imperatriz Leopoldinense 2017

No último carnaval de Cahê na Imperatriz, em 2018, o objetivo do enredo era comemorar a história do Museu Nacional, instalado na Quinta da Boavista, antiga residência da família real. A escola ficou com a oitava colocação nesse carnaval e Cahê despediu-se da certinha de Ramos.

Imperatriz Leopoldinense 2018

No carnaval de 2019 Cahê Rodrigues não apresentou enredo seu no grupo especial das escolas de samba cariocas, tendo assumido a Acadêmicos de Santa Cruz no grupo de acesso, com enredo obre a atriz Ruth de Souza, que ficou com o 5º lugar e apresentou desfile no carnaval de Manaus pela Vitória Régia, onde apresentou o enredo “Tinta nas Veias, a Verdade nas Mãos: Na Crítica de Calderaro “70 Anos” A Voz de uma Nação”, alcançando o quarto lugar.

Acadêmicos de Santa Cruz 2019

No último carnaval carioca Cahê participou de uma comissão de carnaval que atuou na União da Ilha do Governador, cujo desfile acabou levando a escola para o grupo de acesso onde desfilará no próximo carnaval. Além disso de novo realizou o carnaval da Acadêmicos de Santa Cruz no acesso, sobre a cidade de Santa Cruz de Barbalha e ainda atuou na escola Os Rouxinóis de Uruguaiana, em parceria com Severo Luzardo.

União da Ilha do Governador 2020

Passado o desfile do carnaval passado, Cahê tornou pública críticas ao diretor de Harmonia Laíla, autor do enredo apresentado pela escola, que não conseguiu manter-se no especial.

Para 2021 Cahê está oficializado como carnavalesco da União da Ilha, juntamente com outros profissionais, para o desfile da escola no grupo de acesso carioca, havendo boatos de que a agremiação deverá reeditar “Festa Profana”, situação esta não oficializada até aqui pela direção da escola.

Cahê Rodrigues ainda é fã apaixonado pelo Boi Bumbá Caprichoso, da cidade de Parintins no Amazonas, não deixando de estar presente ao Festival de Parintins, sempre que isso é possível e sua agenda atribulada permite.

Por Sidnei Louro Jorge Júnior

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui