Acervo da extinta Rede Manchete, incluindo transmissões de carnaval, será leiloado em Setembro

0
1316

Fundada em junho de 1983 pelo Grupo Bloch, a Rede Manchete de televisão fez suas ultimas transmissões em 1999, deixando grandes momentos na memória dos brasileiros, principalmente para os amantes do Carnaval. Lembrada até hoje pelas antológicas transmissões dos famosos Bailes, Concursos de Fantasias e Desfiles das Escolas de Samba, a extinta emissora agora tem parte do seu acervo posto em leilão por decisão da Juíza de Direito da 3ª Vara de Recuperações Judiciais e Falências de São Paulo, Drª Maria Rita Rebello Pinho Dias.

EDITAL – CLIQUE AQUI

Como as mais de 25 mil fitas divididas em 03 lotes, entre os itens colocados à venda, destaque para fitas originais das novelas PantanalA História de Ana Raio e Zé Trovão, Kananga do Japão e Dona Beija. O leilão também possui inclui transmissões eventos esportivos, programas infantis, além dos citados eventos carnavalescos. O lote de programas Diversos, onde se inclui o carnaval da emissora, possui raridades como os programas Feras do Carnaval, Botequim da Manchete e Esquentando os Tamborins. O lote completo (inclui programas de auditório e infantis) está avaliado em R$ 626.899,70.

Um ano após sua inauguração, em 1984 a Manchete cobriu com exclusividade os Desfiles da Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro no primeiro ano do atual sambódromo, depois que a TV Globo desistiu das negociações por conflitos com o governo de Leonel Brizola. Durante 16 anos de existência, a Rede Manchete só ficou de fora das transmissões dos Desfiles das escolas de Samba do Rio nos anos de 1988 e 1993.

A 1ª Praça do leilão terá início no dia 17/09/2021, às 14h30, e se estenderá por três dias no sítio eletrônico www.faroonline.com.br, com encerramento no dia 20/09/2021 às 14h30. Os interessados em participar do leilão eletrônico, devem efetuar o cadastro prévio no
site. O edital prevê outros dois lotes, caso não ajam interessados.

O leilão das fitas serve como tentativa de saldar parte do débito de 5,6 milhões de reais com ex-funcionários da emissora, além de 115,7 milhões de reais correspondente aos ativos reivindicados por credores que pediram inclusão no processo de falência. Em maio deste ano, um imóvel da emissora avaliado em 350 mil reais, localizado em Campinas (SP), foi arrematado por 520 mil reais, também através de leilão. Ações trabalhistas contra a Rede TV!, que adquiriu as concessões da Manchete em 1999, não fazem parte da disputa em torno da falência.

O edital do não menciona os direitos autorais dos programas. é importante lembrar que em 2005, a TV Cultura recebeu 5 mil fitas pertencentes à filial paulista da Manchete. A emissora pública de São Paulo não as coloca no ar pelas dúvidas em relação aos direitos autorais. De acordo com a legislação brasileira, o acervo da Manchete começa a entrar em domínio público somente a partir de 2054.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui